Como sair da zona de conforto – e porque é tão difícil

Mudança é fundamental e  necessária quando já não queremos mais estar no lugar onde estamos. Seja o cargo que você exerce, a sua carreira, no seu  relacionamento, na cidade ou um país onde mora. Vale para qualquer coisa que podemos chamar de zona de conforto. Eu adoraria dizer que sair da zona de conforto não dá medo. Mas dá.

Por isso, muita gente não consegue deixar esse lugar aconchegante e seguro, que não oferece riscos, um lugar que de confortável mesmo só tem o nome.

Não há nada de errado em você querer continuar onde está, é que a vida não acontece apenas dentro dessa caixinha chamada zona de conforto. 

comer bem e cuidar da mente

Porém, segurança é uma ilusão. Em um segundo tudo pode mudar. Por isso, acredite, a zona de conforto está longe de ser um lugar confortável. Somente fora dela é que podemos crescer, transformar, criar e mudar. 

Faça uma avaliação íntima e pessoal da sua vida exatamente como ela está hoje. Esqueça a vida colorida que você leva nas redes sociais.  

Assim, avalie a sua vida como de fato ela é. Você está feliz em quais áreas? E em quais aspectos você está insatisfeito? Onde você está estacionado? O que pode ser feito para mudar isso?

O que é e como sair da zona de conforto

É a expressão que remete ao lugar “mental” onde permanecemos, resistindo a mudanças e a desafios. Ou seja, é tudo aquilo que estamos acostumados a fazer, pensar ou sentir, é o habitual, o conhecido para nós mesmos e que não causa nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco. Como se fosse um lugar perfeito, seguro.

Na verdade, quem permanece na zona de conforto tem medo de mudanças, fica impedido de desenvolver sua criatividade, não está aberto a novas descobertas, se acomoda e se conforma com sua vida já tão rotineira.

Neste lugar, normalmente as pessoas não se permitem sonhar, receiam viajar, conhecer novos lugares, outras culturas, comidas, não gostam de sair de casa, evitam fazer novas amizades. Com isso, acabam se tornando sistemáticas. 

Essas pessoas gostam de estar no controle da situação ou acham que estão pouco se arriscam, não se permitem a novas descobertas. 

O que pouca gente sabe é que essa zona de conforto não é nada confortável. Entretanto, você permanece em sua zona de conforto apenas por ter nela comportamentos e situações que lhe são conhecidos, mas não necessariamente bons.

Não existe garantia de felicidade

Com isso, a ideia de estar na zona de conforto não é uma garantia de felicidade. E, muito menos, de que não serão enfrentadas situações ruins. 

Pelo contrário: podemos nos acostumar a comportamentos e situações que nos fazem infelizes, apenas pelo simples fato de serem conhecidos e familiares.

Ficar na zona de conforto certamente te limita a fazer descobertas, a se redescobrir e perceber do que você é capaz. Assim, a vida começa onde termina sua zona de conforto.

É preciso certa dose de confiança para sairmos de uma situação ou lugar que é conhecido, habitual, enquanto você estiver na sua “zona de conforto” não está aprendendo, nem crescendo.

Pense… fazendo aquilo que sempre faz irá obter aquilo que sempre obteve.

Dessa forma, ninguém nasce com um manual de instruções para vida, apesar de todos os conselhos dos nossos pais, cada um de nós deve fazer suas próprias escolhas e seu próprio caminho no mundo, não há garantias.

Fazendo o seu melhor, errando, acertando, Mas, se você ficar com medo e tentar evitar cometê-los certamente vai perder muitas oportunidades

Assim, a vida não teria graça se tudo fosse tão igual e se as circunstâncias fossem sempre as mesmas. Ela nos desafia a cada instante a sair da nossa zona de conforto e ir em busca do que realmente nos completa e que dá sentido à nossa existência.

Como sair da zona de conforto

Ouse

Se quisermos aprender ou mudar alguma coisa, temos que sair do lugar conhecido, do confortável e nos aventurarmos ao desconhecido. Isso implica correr certo risco, pois não sabemos o que acontecerá ou se seremos capazes de dar conta, se seremos capazes de controlar a situação. Mas, para saber os resultados que virão de suas ações, somente você fazendo.

Leia também: Rigidez: Como driblar o sentimento e ser mais flexível

Saia da mesmice

Pense em todas as conquistas que teve na sua vida, certamente a maioria se não todos os resultados aconteceram quando você fez algo novo, e não praticando os seus velhos hábitos.

Com o tempo, construímos hábitos que nos aprisionam numa suposta zona de conforto que nos impede de atingir todo nosso potencial. Dessa maneira, esses hábitos acabam determinando o que pensamos e podemos fazer. Se permitir que esses hábitos controlem sua própria vida, você vai ficar preso na sua própria teia, paralisando-se.

Opine

Se você não tem o hábito de se colocar, opinar desafie-se a falar. Durante a reunião de trabalho, na aula da faculdade, ou na mesa do bar. Ouse fazer uma pergunta que seja pertinente, comente o assunto e dê sua opinião. Se sentir constrangido, tímido, comece aos poucos.

Leia também: Intoxicação emocional: O que é e como evitar

Tome decisões 

Quando toma consciência de que a única coisa que faltava era tomar a decisão, e que na verdade, você é capaz de fazer muito mais do que acreditava, automaticamente aumenta a confiança em si mesmo. Assim, começará a realizar tudo aquilo que a principio, tinha medo.

Então, pense menos aja mais. Com o tempo e com suas atitudes, você se dará conta de que na verdade pode ir muito mais além do que se permitia ir, e sentirá autoconfiança e autoestima elevada.

Viva o aqui e agora

Experimentar o aqui e agora é uma forma de plenitude. Quando concentramos nossos esforços, atenção e entusiasmo no momento atual temos um sentimento de realização pessoal. Com isso, sair da zona de conforto não deixa espaço para outra coisa que não seja atender ao presente. Desafio, atenção e empenho, você precisará para superar essa etapa que se apresenta diante de você.

Motive emoções diferentes

Devemos motivar emoções diferentes das que estamos sentindo. Isso irá ajudar a deixar o estado emocional de que nos incomoda.E não se preocupe com o que os outros pensam ou podem pensar.

Para refletir sobre a zona de conforto

Quando instalamos um único ponto de vista sem dar conta, deixamos de perceber diversos outros ângulos da realidade, possivelmente mais proveitosos e interessantes. Assim, sair da zona de conforto permite aproximarmos de novas formas de olhar e ver a vida. Isso se traduz em maior flexibilidade em nossas apreciações e nosso modo de viver. Em outras palavras nos tornamos mais adaptável, e com maior capacidade de adaptação e mais habilidade para solucionar qualquer situação difícil. 

Há coisas que não podemos alterar. Porém quando tomamos consciência temos a escolha de ressignificar e possivelmente mudando apenas nosso olhar e nossa interpretação.

A terapia é chave nesse processo de autoconhecimento e aceitação, ela te fornecerá ferramentas e acolhimento para perceber que quando as coisas correm mal necessitamos de atitudes diferentes, isso inclui, tomar decisões e aceitar que a vida tem sim os seus imprevistos.

Linda Vieira – Psicóloga Clínica com com abordagem Fenomenológico-Existencial. Experiência em: depressão, fobias, estresseansiedade, sexualidade, relacionamentos e medos. Parceira no Programa de Emagrecimento Tecnonutri.