Benefícios da prática de yoga para gestantes

Yoga traz diversos benefícios para o corpo e mente. Para as gestantes não é diferente! Durante a gravidez é fundamental praticar atividades físicas, pois o corpo passa por diversas mudanças físicas e psicológicas.

Por isso, yoga é uma ótima opção, pois promove o alongamento, a respiração e não possui impacto nas articulações. Além disso, os exercícios são focados na respiração, o que promove a sensação de bem-estar e ajuda as mulheres a se manterem mais calmas. 

Contudo, algumas posturas podem trazer problemas para as gestantes, portanto é essencial consultar um médico antes e ter um instrutor ao seu lado nas aulas.

Leia também: Yoga: Os benefícios da prática para o coração

Benefícios

A prática de yoga na gestação pode trazer diversos benefícios para as gestantes, que podem incluir:

  • Ajudar a reduzir o cansaço
  • Tonificar os músculos
  • Promover a flexibilidade
  • Melhorar a circulação
  • Reduzir o inchaço nas pernas
  • Melhorar a postura, evitando dor na lombar 
  • Reduzir a ansiedade e outros medos

Exercícios

Veja abaixo algumas posturas de yoga simples e fáceis para as futuras mamães. Você pode optar por repetir cada exercício cerca de 7 vezes.

Leia também: Exercícios seguros para gestantes e benefícios

Pranayama

  1. Sente-se ou deite-se, com a coluna ereta.
  2. Em seguida inspire lenta e profundamente pelo nariz, preenchendo bem os pulmões, e expire (também pelo nariz) lentamente.

Uttanasana

  1. Em pé, com as pernas afastadas e com a ponta dos pés voltada para fora, encoste as costas e o bumbum na parede, flexionando as pernas lentamente e escorregando o quadril em direção ao chão. 
  2. Mantenha o bumbum fora do chão, se preferir, coloque um bloco de yoga ou uma almofada para apoiar. 
  3. Deixe os cotovelos levemente apoiados sobre os joelhos e junte das mãos em frente ao peito. 
  4. Assim, esta postura ajuda a fortalecer a musculatura das pernas e do assoalho pélvico.

Gato-vaca

  1. Inicie numa posição de quatro apoios, deixando os joelhos na largura do quadril e as mãos na largura dos ombros. 
  2. Inspire, elevando ligeiramente a coluna e descendo a cabeça em direção ao peito. 
  3. Logo depois, exale, descendo a cintura e elevando a cabeça. Lembre-se de manter o ritmo da respiração.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo