Vitamina B3 pode reduzir risco de câncer de pele

A vitamina B3 integra o complexo B e, segundo um estudo recente, pode reduzir o risco de incidência de câncer de pele. Ela também é chamada de niacina, niacinamida e nicotinamida. A pesquisa, realizada na Universidade de Sydney, na Austrália, descobriu que doses da vitamina podem reduzir em até 25% a chance de desenvolver a doença.

Vitamina B3 x câncer de pele

A vitamina do complexo B pode, segundo a análise, prevenir que o raios UV prejudiquem a pele e levem ao desenvolvimento do câncer não-melanoma. Sendo assim, a ingestão da vitamina B3 promove ação fotoprotetora.

O estudo foi feito com a ajuda de mais de 380 participantes voluntários. Todos os voluntários já haviam sido diagnosticados com ao menos um tipo de câncer de pele nos últimos 5 anos. Por fim, ao longo da análise, eles foram divididos em dois grupos: um deles recebeu altas doses de vitamina B3 via oral e, o segundo, foi suplementado com placebo (preparação neutra que não promove efeitos verdadeiros). O tratamento durou, ao todo, 12 meses.

Assim, ao final daquele ano, os pacientes que receberam a suplementação de vitamina B3 não sofreram imunossupressão causada pela ação dos raios solares. E, portanto, corriam menor risco de desenvolver outros tipos de câncer de pele.

Porém, a suplementação de vitamina B3 não deve ser feita sem que haja prescrição e acompanhamento médico. No entanto, alimentos ricos em vitamina B3 podem ser incluídos na dieta (emagreça com o Tecnonutri) com a mesma finalidade. Em todo caso, não deixe de consultar um nutricionista e um dermatologista.

Leia também: Vitamina A ajuda a combater câncer de pele

Alimentos ricos em vitamina B3

Leia mais: Betacaroteno: O nutriente que protege a pele e a visão

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo