Transtorno do pânico: O que é, sintomas e tratamento

O transtorno – ou síndrome – do pânico é uma doença caracterizada pela ocorrência de crises de ansiedade inesperadas e pelo medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivos para isso. 

Essas crises são associadas a sintomas físicos e emocionais que podem durar até 10 minutos. No geral, os indivíduos experimentam a sensação de que vão morrer ou de que perderam o controle sobre si mesmos.

As crises de pânico ocorrem principalmente quando o indivíduo tem uma preocupação persistente com a possibilidade de ter novos ataques, por medo de perder o controle ou ter um ataque cardíaco, por exemplo. Desse modo, os episódios podem se repetir frequentemente, atrapalhando a qualidade de vida do paciente.

O transtorno do pânico costuma atingir mais mulheres do que homens. A explicação deste fator é que no sexo feminino há uma sensibilização das estruturas cerebrais pela flutuação hormonal, pois a incidência de pânico aumenta no período fértil.

comer bem e cuidar da mente

Causas

As razões para desenvolver o transtorno do pânico são diversas. Mas de acordo com Cristine Lima, psicóloga da Clínica Eubiose, a principal causa é a estrutura emocional do indivíduo. Por exemplo, se ela está muito ligada com a insegurança, com as preocupações ou com o negativismo.

Além disso, o abuso de certos medicamentos, drogas e álcool podem estar envolvidos.

Leia também: Como a ansiedade afeta o foco e a concentração

Sintomas do transtorno do pânico

Os sintomas da síndrome do pânico podem variar dependendo de cada pessoa, mas os mais comuns incluem:

  • Taquicardia;
  • Sudorese (transpiração em excesso);
  • Tremor;
  • Angústia;
  • Choro excessivo;
  • Sufocamento;
  • Falta de ar;
  • Sensação de que vai morrer;
  • Desarranjos intestinais ou urinários;
  • Formigamento;
  • Fraqueza.

Tratamento e dicas para lidar com as crises

Assim como diversos outros tipos de transtornos, existe tratamento para a síndrome do pânico.

O recomendado é a psicoterapia, na qual o indivíduo contará suas experiências e sentimentos para o terapeuta, a fim de entender os processos emocionais que estão provocando as crises. Em casos mais graves, o psiquiatra prescreve medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos. 

Ainda, você pode seguir algumas dicas da psicóloga Cristine para lidar melhor com as crises:

  • Procure respirar profundamente e lentamente, desviando os pensamentos para algo que tire o foco do que está lhe apavorando. Pense em algo mais racional, pois é um momento puramente emocional. 
  • Tenha sempre em mente que não vai morrer e os sintomas são sentidos como reais, mas são puramente o emocional se pronunciando. 
  • Livre-se  da sensação e medo iminente de morte, se conscientize de que isso não vai ocorrer.

Leia também: Transtorno de ansiedade por doença: Sintomas e tratamento

Fonte: Cristine Lima dos Santos, psicóloga e coordenadora da Clínica Eubiose Integração e Saúde.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo