Transtorno de estresse agudo: O que é, sintomas e tratamento

Após passar por uma situação extremamente estressante e traumática, grande parte das pessoas tem dificuldades para lidar com isso e podem surgir consequências, como o transtorno de estresse agudo. O transtorno de estresse agudo surge quando um indivíduo passa por um evento de alto impacto, como perda de um ente querido ou acidente no trânsito, por exemplo.

De acordo com um estudo da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, quando não tratado adequadamente, este distúrbio pode trazer complicações sérias como o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

Desse modo, o transtorno de estresse agudo pode ocorrer quando passamos por um acontecimento assustador, o corpo ativa uma resposta automática orientada para enfrentar a ameaça ou fugir. Além disso, nosso corpo libera excessivamente a adrenalina e norepinefrina no sistema nervoso. Esses hormônios são responsáveis por provocar alterações físicas que incluem taquicardia, sensação de alerta, medo, dores musculares, entre outros.

Leia também: Transtorno dissociativo de identidade: O que é e sintomas

comer bem e cuidar da mente

Como identificar o transtorno de estresse agudo

Os sintomas deste transtorno podem durar de 2 até 30 dias. Após 4 semanas, os especialista analisam para justificar outros diagnósticos. Veja os mais comuns:

  • Memórias e sonhos angustiantes recorrentes, incontroláveis e intrusivas sobre o evento;
  • Sensação de que o trauma está acontecendo novamente, por meio de flashbacks;
  • Angústia ao relembrar o acontecimento, como chegar a um local semelhante ou ouvir sons parecidos;
  • Incapacidade de sentir emoções positivas;
  • Perda da memória em relação a algumas partes do evento traumático;
  • Evitar pessoas, lugares, conversas, atividades, objetos e situações que possam relembrar;
  • Distúrbios do sono;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Sustos exagerados a barulhos fortes, movimentos súbitos ou outros estímulos.

Tratamento

A boa notícia é que existe tratamento para este tipo de transtorno. Uma vez que o indivíduo é diagnosticado, realizar sessões de psicoterapia torna-se fundamental. Sendo assim, a abordagem pode incluir estratégias como reestruturação cognitiva, técnicas de relaxamento e exposição imaginária.

Ainda, ter o apoio de amigos e familiares durante esse período é essencial, pois por meio da empatia e compreensão é possível amenizar os sintomas. 

Em casos mais graves pode ser recomendado o uso de medicamentos prescritos por um psiquiatra, para reduzir a ansiedade e trazer tranquilidade.

Leia também: Transtorno de adaptação: O que é, sintomas e tratamento

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo