Tipos de pimentas: Características e benefícios do tempero

De sabor muito característico, as pimentas fazem sucesso na mesa de muita gente. São cheias de vitaminas, entre elas A, C e B6, além de ferro e potássio

É considerada um alimento antioxidante, que ajuda no combate aos radicais livres – responsável pelos sinais de envelhecimento e por enfraquecer o sistema imunológico. 

Mas seu principal nutriente é a capsaicina. “Essa substância é o teor funcional da pimenta e promove saúde no organismo. Aliás, quanto mais picante, mais rica ela é no teor de capsaicina e mais picante também”, afirma Christiane Carvão, nutróloga e endocrinologista do Centro de Estudos e Pesquisas da Mulher (CEPEM).

Entre os benefícios desse alimento estão a melhora do perfil da insulina, melhor aproveitamento da glicose no sangue – importante para diabéticos -, aumento da taxa de metabolismo basal, auxílio no emagrecimento e redução da gordura corporal. “Também é bom para problemas vasculares e tem ação anti-inflamatória.”

É importante salientar que nem todo mundo pode incluir a pimenta na alimentação. “Pessoas que têm problemas de gastrite e esofagite devem evitar o uso. Quem sofre com hemorróidas também”, recomenda a médica. Vale checar ainda se há algum tipo de alergia que impeça o consumo de pimentas.

Leia também: Temperos que aceleram a queima de gordura

As pimentas mais consumidas no Brasil

Existem no mercado muitos tipos de pimentas e cada um apresenta níveis diferentes de ardência. Veja abaixo as versões mais comuns nos pratos brasileiros.

Pimenta-do-reino 

Sua principal ação é a termogênica, o que acelera o metabolismo e ajuda no processo de emagrecimento. De ardência mediana, é bastante versátil e aparece em muitas receitas salgadas.

Pimenta-de-cheiro

Essa pimenta baiana tem ardência leve à moderada. Sua característica mais marcante é o aroma, que dá origem ao seu nome. Está presente em diferentes preparações nordestinas e vai bem com diferentes tipos de peixes.

Caiena 

A mistura de diferentes pimentas de cor vermelha dá origem à caiena. É uma das mais ardidas do mercado. Melhora a circulação sanguínea e protege o coração de diversas doenças.

Leia também: 5 temperos comuns que ajudam na digestão

Dedo-de-moça 

Rica em vitamina A, é uma das pimentas mais famosas no Brasil. É utilizada em molhos e outros pratos salgados e doces. Pode ser encontrada nas versões moída, desidratada, em conserva e natural. Com ardência moderada, fica mais leve quando usada sem sementes.

Jalapeño

Essa pimenta, com alto nível de ardência, vem do México e é presença garantida nos mais variados pratos da culinária do país. Possui muitas fibras, que promovem maior sensação de saciedade e contribuem para a saúde do sistema digestivo.

Malagueta

A malagueta é uma rica fonte de capsaicina, por isso seu teor de ardência é tão alto. É bastante popular, inclusive no nordeste brasileiro. Ajuda na digestão, combate dores de cabeça e funciona como antioxidante.

Biquinho

O sabor dessa pimenta é suave, por isso, pode ser usada em pratos como saladas, grelhados e até geleias. Contém vitaminas, minerais e fibras. Contribui para o bom funcionamento cardíaco, estimula a imunidade e tem ação anti-inflamatória.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.