Tecnoestresse: As consequências do excesso de tecnologia

A tecnologia faz parte da vida da maioria das pessoas ao redor do mundo. Especialmente na vida dos jovens, que estão sempre antenados sobre o que está acontecendo nas redes sociais. No entanto, o uso pode trazer consequências ruins para a saúde mental, como o tecnoestresse. 

O termo “tecnoestresse” diz respeito aos problemas psicológicos causados pelo uso das tecnologias.

Uma pesquisa realizada pela Microsoft contou com a participação de 20 mil pessoas na Europa. Dessa maneira, os pesquisadores descobriram que pelo fato de a tecnologia causar estresse, a satisfação e a produtividade no trabalho diminuem.

comer bem e cuidar da mente

Ele pode ocorrer por diversos fatores. Principalmente hoje em dia, a cobrança e pressão em relação ao trabalho aumentou. Dessa forma, se adaptar ao trabalho em casa também não é fácil, o que pode causar esse estado psicológico.

Além disso, um estudo da Universidade Harvard explica que as redes sociais também afetam a saúde física. Assim, surgem problemas como a obesidade, por exemplo, pela falta de atividades físicas.

Sintomas do tecnoestresse

Os sintomas podem variar e, em casos mais graves, levar a outros distúrbios, como a depressão. 

Portanto, é necessário estar atento aos seguintes sintomas:

  • Cansaço;
  • Dificuldades para se concentrar;
  • Problemas de memória;
  • Falta de sono;
  • Ansiedade;
  • Dores de cabeça;
  • Dores musculares;

Como evitar?

A boa notícia é que existe um tratamento para este tipo de transtorno. É importante ter um limite sobre o quanto você usa as tecnologias. Portanto, procure ter um tempo apenas para você. A meditação, por exemplo, é uma ótima forma de relaxar e deixar os pensamentos ruins de lado. 

Portanto, separe algum momento do seu dia para meditar, nem que seja por 20 minutos. Você pode optar por aplicativos ou vídeos de meditação que podem ajudar. Além disso, a prática de exercícios físicos também é importante.

Ainda, ter o apoio de amigos e familiares durante esse período. Também vale respirar fundo, ouvir música, ligar para um amigo ou dar um passeio.

Leia também: Coronafobia: Entenda os efeitos da pandemia na saúde mental

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo