Como proteger a saúde mental das crianças durante a quarentena

Todos estão preocupados com o coronavírus e quais impactos ele terá em nossas vidas. As crianças também sofrem com isso, pois estão expostas a uma vasta quantidade de informações sobre o vírus e confinadas em casa sem ir para escola ou ver os colegas. 

Essa situação pode ser muito para uma criança processar, sem saber o que está acontecendo. Muitos pais preferem não comentar sobre o assunto para não sobrecarregar a saúde mental dos filhos, mas isso acaba sendo pior. No entanto, as crianças entendem que há algo problemático mesmo quando os pais não tocam no assunto.

Na medida do possível e com uma conversa tranquila, os pais podem explicar o que se passa e ajudá-los a lidar com a situação. Além disso, é necessário entender que as diferentes faixas etárias precisam ser levadas em conta. 

Como saber que a saúde mental das crianças está sendo afetada

Para saber como o seu filho está lidando com o cenário, note se existe mudanças de comportamento. Por exemplo, crianças mais agitadas que, de repente, mostram comportamentos introspectivos ou as mais tranquilas se inquietando podem ser sinais desse impacto.

Leia também: Planos de viagem cancelados? Veja como criar férias em casa

Dessa forma, também existem alterações na alimentação, quando o consumo aumenta ou diminui significativamente, e no sono, com a aparição de pesadelos.

Como protegê-los

Se você observar esse tipo de comportamento, saiba que existem maneiras de tirar os pequenos dessa bolha de estresse.

Você pode dizer que é uma gripe forte e que é essencial ficar em casa. Mas, faça uma ressalva e diga que assim que tudo acabar, a vida voltará ao normal. Nada de pânico, tranquilize-os de que estão seguros e protegidos.

Leia mais em: Coronavírus: O que você precisa saber para se cuidar

As crianças possuem muitos sentimentos, então, quando você se comunica com eles por meio de uma linguagem sensível, isso os ajuda a se sentir ouvidos, vistos e compreendidos.

Não sobrecarregue seus filhos com muita informação. Tente ao máximo distraí-los, brincando com o que eles mais gostam, principalmente ao ar livre se você tiver um quintal. Se as crianças sentirem falta do coleguinha, faça uma ligação online. 

Dito isso, caso haja dificuldades para as crianças dormirem, conte uma história. Nessas horas é importante dar carinho e atenção para que elas saibam que estão sendo acolhidas. 

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo