fbpx

A respiração pode causar tensão no corpo

Você tem prestado atenção na sua respiração? Tirando durante uma corrida ou aula de yoga, é difícil dar a devida importância a esse ato tão vital no dia a dia. Se você está se sentindo mais tenso que o normal, saiba que o jeito como respira pode ser o culpado.

Existem diversas formas de respirar, todas com vantagens e desvantagens. Mas, se a intenção é evitar a tensão no corpo, algumas maneiras devem ser evitadas. Confira:

Respiração torácica

A barriga é dobrada e contraída permanentemente. Com isso, alguns exercícios de yoga incentivam esse jeito de respirar com o objetivo específico de ampliar a expansão da caixa torácica. Porém, no dia a dia pode ocasionar tensão muscular.

Leia também: Meditação: Tudo o que você precisa saber sobre a prática

Respiração colapsada

É alta e muito limitada, em uma posição colapsada. Os ombros são dobrados e o abdômen se projeta, sem tom e imóvel.

Hiperventilação

É quando se respira excessivamente rápido, o que pode ser uma consequência da exacerbação da respiração torácica. Também, pode ser causada por problemas cardíacos, renais ou de diabetes.

Segurando a garganta

Sabe quando você quer chorar, mas retém esse sentimento e fica com a sensação de nó na garganta? Esse jeito de respirar é quase igual – e não é recomendado.

Agarrar a respiração

Correndo de uma respiração para a seguinte, sem esperar para sentir a necessidade de inspirar ou a necessidade de expirar.

Respiração congelada

É superficial, como quando estamos com frio e nossos movimentos respiratórios são restringidos pelas contrações dos músculos do corpo, como peito e ombro.

Como identificar seu padrão?

Todas essas respirações tendem a causar tensão no pescoço e ombro, até mesmo dor de cabeça.

  • A respiração paradoxal é anti-fisiológica e pode ser difícil de identificar sem ajuda. No entanto, requer reabilitação. 
  • A respiração no peito, colapsada e a hiperventilação são bastante semelhantes, mas seu diagnóstico vem do estudo dos movimentos da barriga e das costelas. Da mesma forma, deixar as roupas apertadas pode ser um grande problema para o corpo. Isso porque nos padrões respiratórios fracos, a barriga luta para encontrar seu lugar apropriado, restringindo o movimento do diafragma. Com isso, ela se torna menos eficiente, e o pescoço, ombros, caixa torácica, tórax e parte superior das costas se contraem e ficam rígidos.
  • Prender a garganta , agarrar a respiração e respiração congelada são hábitos estreitos de respirar. Assim, para reabilitá-los, é preciso ter uma profunda confiança em si mesmo.

Por fim, os hábitos respiratórios mudam de acordo com vários fatores, como temperatura, dor e quaisquer substâncias que possamos ingerir ou inalar (estimulantes, medicamentos, venenos).

 
 

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo