Reabertura: Como voltar para a academia de maneira segura pós-quarentena

Após quatro meses de isolamento social, recentemente, as academias de ginástica, estúdios de treinos e demais lugares voltados para a prática de exercícios físicos estão reabrindo gradualmente. Contudo, ainda existem dúvidas sobre como se adaptar à reabertura e voltar para os espaços esportivos de maneira segura.

Ao decidir retornar às academias deve-se ter um cuidado especial em relação ao coronavírus. Isso porque por ser um ambiente fechado, o risco de contágio pode ser maior. 

Assim, é importante ressaltar a importância de continuar seguindo as normatizações da vigilância sanitária e das autoridades. “Os usuários devem usar máscara durante todo o período de permanência no espaço, higienizar as mãos frequentemente com álcool em gel 70%, evitar aglomerações e manter o distanciamento de 1,5 metro” explica Dra. Thais Guimarães, infectologista do Hospital do Servidor Público Estadual.


Embora possa ser desconfortável, o uso da máscara é imprescindível e obrigatório em ambientes coletivos. Então, esse será mais um desafio a ser adotado.

Leia também: Como retomar os treinos na academia depois da quarentena

Será obrigatório a disponibilização de álcool 70% em todas as academias, para higienização dos equipamentos. Portanto, os equipamentos usados devem ser higienizados pelos clientes antes e depois da utilização.

Além disso, retomar os treinos após tanto tempo pode ser desafiador. Assim, é importante a buscar orientação de um profissional para ter uma avaliação detalhada e diminuir o número de treinos semanais.

Protocolo para reabertura

De acordo com a infectologista, além dos cuidados pelos usuários do espaço, para a reabertura, as academias deverão seguir os seguintes protocolos de higienização:

  • Utilização de máscara para funcionários, professores e alunos.
  • Medição da temperatura com termômetro eletrônico, à distância, de todos que entrarem na academia. Caso seja apontada uma temperatura superior a 37.8 °C, a pessoa não será autorizada a entrar.
  • Quantidade de clientes que entram na academia deverá ser limitada para 30% da capacidade total para permitir o distanciamento.
  • Os espaços deverão ser delimitados com fitas que irão determinar onde cada cliente deve se exercitar nas áreas de peso livre e nas salas de atividades coletivas. Nesse sentido, cada um deve ficar a 1,5 m de distância do outro. 
  • As esteiras poderão ser usadas no esquema “uma sim, uma não” ou aumentar o distanciamento entre elas (1,5 m).
  • A saída de água do bebedouro só será liberada para clientes que estiverem utilizando garrafas próprias.
  • Os clientes deverão ter restrição quanto ao tempo de permanência na academia durante horários de pico, a fim de não superlotar os espaços físicos.
  • Disponibilizar álcool em gel para a higienização das mãos e álcool líquido para a limpeza dos aparelhos.
  • Manter os ambientes bem ventilados.

Leia também: Coronavírus: O que você precisa saber para se cuidar

Fonte: Dra. Thais Guimarães, infectologista do Hospital do Servidor Público Estadual.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo