Psicologia junguiana: O que é e como funciona

A psicologia junguiana – também conhecida como psicologia analítica – tem como objetivo restabelecer o equilíbrio emocional por meio do inconsciente. Assim, auxiliando o indivíduo a resgatar aquilo que é a sua essência.

A abordagem foi criada pelo psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, para o seu método de interpretação da psique humana. Dessa maneira, ele desenvolveu seus conhecimentos e explorou o inconsciente como um todo. 

Os conceitos se baseiam no inconsciente pessoal, que representa as lembranças e pensamentos reprimidos ou descartados pelo consciente. Como por exemplo, conflitos pessoais ou pensamentos que causam tristeza. A psicologia junguiana também se baseia no inconsciente coletivo, que são as pessoas influenciadas por fatores inconscientes que estão além de seu controle. 

Dessa maneira, a psicologia junguiana não tem contraindicação. Pois, pode ajudar a entender e enfrentar processos complexos como a depressão, ansiedade ou, até mesmo, possíveis vícios. Além disso, é uma ótima alternativa para identificar defeitos, qualidades e bloqueios inconscientes.

Como funciona uma sessão

A terapia junguiana não é rígida, então, ela não possui um caminho concreto. Sendo assim, o tratamento é realizado de acordo com as necessidades do paciente.

Para iniciar, o paciente deve se sentir à vontade para falar do que quiser e desabafar. De acordo com Jung, a interação entre o terapeuta e paciente é um dos fatores que promove a transformação na terapia, por isso, é importante estabelecer uma relação genuína entre ambos.

Em seguida, com o tempo o terapeuta irá buscar compreender o que aquela situação representa para o paciente, para que ele compreenda melhor a si mesmo. 

Além da conversa, durante as sessões também pode ser trabalhado a análise de sonhos, terapia com caixa de areia, arteterapia ou qualquer outro método que envolva.

Leia também: Terapia da luz vermelha: O que é e benefícios

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo