Problemas de pele comuns na quarentena – e como resolver

Muitas pessoas acreditam que durante o isolamento social a pele ficará melhor, pois não ficarão expostas ao sol e poluição, terão mais tempo para se dedicar a rotina de cuidados e uma necessidade menor de usar maquiagem.

Embora ficar em um ambiente interno possa ajudar com uma ampla proteção aos raios UV, também pode ter um impacto negativo na saúde dermatológica. Isso porque passar mais tempo em ambientes fechados como a nossa casa traz mudanças em nossas dietas, níveis de atividade físicas e saúde mental. Veja como a pele pode responder nesse período e como reverter o cenário.

Oque pode estar causando problemas de pele durante o isolamento

Mudanças na dieta

Quando mais tempo passamos em casa, maior a vontade de comer durante o dia. Porém, se a alimentação inclui alimentos processados, laticínio ou carboidratos, isso pode contribuir para a piora de acne.

Além disso, o que você bebe também pode afetar, já que o consumo de álcool, por exemplo, altera o equilíbrio hormonal, tornando mais propenso o aparecimento de vermelhidão e inflamação. Portanto, é recomendado comer o máximo possível de grãos integrais, vegetais, frutas e proteínas. Permanecer hidratado também é muito importante. Beba pelo menos 2 litros de água por dia.

Mudanças no nível de atividade física

Provavelmente você não está fazendo tanto exercício como fazia antes da quarentena. A diminuição do nível de atividade física enquanto permanece em ambientes fechados pode levar a uma menor circulação. Por isso, para se manter ativo e não deixar a rotina fitness de lado, use aplicativos de treinos com aulas em vídeo, como o Workout, que funciona como um aliado para quem deseja se exercitar em casa.

Leia também: Cuidados dermatológicos que quem malha deve ter

Qualidade do ar

Ar condicionado pode ser um dos motivos para a pele estar seca e irritada. Então, é fundamental manter a hidratação ao passar muito tempo em ambientes fechados e estar exposto a esse tipo de aparelho. 

Estresse

Entre mitos e verdades, a conexão entre a pele e o estresse é real. O estresse leva ao excesso de níveis de cortisol e à superprodução de citocinas inflamatórias, o que aumenta a inflamação na pele e leva a condições como acne, rosácea, eczema e psoríase.

Algumas pesquisas mostraram que trabalhar em casa pode aumentar os níveis de estresse. Em virtude disso, considere a possibilidade de integrar atividades de combate ao estresse no seu dia a dia, como meditação, para ajudar a manter a calma e combater os estressores.

Como ter uma rotina de cuidados com a pele durante o isolamento

Limpe a pele do rosto

Mesmo que não esteja usando maquiagem, é importante lavar o rosto de manhã e pela noite. Use um sabonete suave para livrar a pele de todo o óleo, células mortas da pele e bactérias que se acumulam, pois é essencial desobstruir os poros e deixar a pele respirar.

Assim, se você é propenso a ter acne, opte por algum gel de limpeza que possua peróxido de benzoíla para ajudar a diminuir a inflamação e destruir as bactérias causadoras de acne sob a pele. 

Aplique um sérum antioxidante

Quando você se estressa, o seu corpo e sua pele passam pela mesma situação, e os antioxidantes podem ajudar reduzir os danos causados pelo estresse. Você pode usar um sérum de vitamina C pela manhã e noite durante os períodos de quarentena.

Hidratação o dia todo

Por ficar o dia todo em um ambiente fechado com o ar seco, você deve aplicar hidratantes ao longo do dia para manter a pele saudável e hidratada. Use no corpo todo e principalmente no rosto, nas mãos e um hidratante labial na boca. 

Não esqueça do protetor solar

Não é porque você não está saindo de casa que não deve usar protetor solar. É necessário proteger o rosto dos raios UV, que podem penetrar as janelas e vidro, além da luz azul de dispositivos como celular, computador ou tablet.

Leia também: Como a poluição afeta a saúde do cabelo

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo