fbpx

Vantagens de colocar peixe na dieta

Peixe está entre os alimentos mais saudáveis do planeta. Além de saboroso, ele é fonte de nutrientes importantes, como proteínas e vitamina D.

O peixe também é rico em ácidos graxos ômega-3, que são essenciais para a saúde do corpo e do cérebro.

Confira motivos para colocar esse superalimento na sua dieta:

Repleto de nutrientes

O peixe é abundante em nutrientes fundamentais para o bom funcionamento do organismo. Isso inclui proteínas de alta qualidade, iodo e várias vitaminas e minerais.

As espécies gordurosas às vezes são consideradas as mais saudáveis. Isso ocorre porque peixes como salmão, truta, sardinha e atum são mais ricos em nutrientes à base de gordura boa, como vitamina D, um lipossolúvel que muitas pessoas têm deficiência.

Variedades gordurosas também possuem ácidos graxos ômega-3, que estão fortemente ligados a um risco reduzido de muitas doenças.

Pode diminuir o risco de ataques cardíacos e derrames

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), ataques cardíacos e derrames são as duas causas mais comuns de morte prematura no mundo.

Nesse sentido, o peixe é considerado um dos alimentos mais saudáveis ​​para o coração que você pode comer.

Leia também: Motivos para comer salmão com mais frequência

Não é por acaso que um estudo divulgado pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, demonstrou que as pessoas que comem o fruto do mar regularmente apresentam menor chance de ataques cardíacos, derrames e morte por doenças cardíacas.

Os pesquisadores acreditam que os tipos de peixes gordurosos são ainda mais benéficos para a saúde do coração devido ao seu alto teor de ácidos graxos ômega-3.

Já nos Estados Unidos, um estudo liderado pelo Departamento de Nutrição de Harvard, acompanhou os hábitos alimentares de mais de 40.000 homens e comprovou que aqueles que comiam regularmente uma ou mais porções de peixe por semana tinham uma probabilidade 15% menor de desenvolver doenças cardíacas.

Turbina o cérebro

A função cerebral geralmente diminui com o envelhecimento. Embora o declínio mental leve seja normal, também existem doenças neurodegenerativas graves, como o Mal de Alzheimer.

Muitos estudos observacionais mostram que as pessoas que comem mais peixe têm taxas mais lentas de declínio mental, entre eles, uma pesquisa realizada pelo Instituto de Envelhecimento Saudável do Centro Médico da Universidade de Rush, em Chicago, nos Estados Unidos, observando adultos com mais de 65 anos.

Leia também: Sardinha é saudável?

Já o Centro de Radiologia das Universidades da Califórnia e Pittsburgh, ambas americanas, concluíram que quem consome peixe toda semana tem mais massa cinzenta – o principal tecido funcional do cérebro – nas partes do cérebro que regulam a emoção e a memória.

Trata e previne depressão

Depressão é uma condição mental caracterizada por humor baixo, tristeza, diminuição de energia e perda de interesse na vida e nas atividades.

Por mais que não se discuta tanto quanto doenças cardíacas ou obesidade, atualmente a depressão é um dos maiores problemas de saúde do mundo.

A Universidade de Catania, na Itália, foi uma das que estudou o tema e concluiu que quem ingere peixe regularmente tem muito menos probabilidade de ficar deprimido.

Esse e outros ensaios revelaram que os ácidos graxos ômega-3 presentes no alimento podem combater a depressão e aumentar significativamente a eficácia dos medicamentos antidepressivos.

Fonte de vitamina D

Peixes e seus derivados estão entre as melhores fontes alimentares de vitamina D – um nutriente essencial para o corpo humano.

Sua ausência pode proporcionar uma série de complicações. Afinal, ela controla 270 genes, inclusive células do sistema cardiovascular.

Os tipos gordurosos, como salmão e arenque, contêm as maiores quantidades.

Leia também: Dieta pescetariana: O que é, como fazer e benefícios

Pode diminuir o risco de doenças autoimunes

Doenças autoimunes como o diabetes tipo 1 ocorrem quando o sistema imunológico ataca e destrói por engano os tecidos saudáveis ​​do corpo.

Um estudo do Hospital Universitário de Oslo, na Noruega, vinculou a ingestão de ômega-3 ou óleo de peixe a um risco reduzido de diabetes tipo 1 em crianças, bem como uma forma de diabetes autoimune em adultos.

Os ácidos graxos ômega-3 e vitamina D no peixe e nos óleos de peixe podem ser responsáveis.

Protege a visão

A degeneração macular relacionada à idade é uma das principais causas de comprometimento da visão e cegueira que afeta principalmente adultos mais velhos.

A Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, acompanhou 38.022 mulheres e concluiu que o consumo regular de peixes foi associado a uma chance 42% menor de degeneração macular.

Melhora o sono

Os distúrbios do sono tornaram-se incrivelmente comuns em todo o mundo, e a deficiência de vitamina D pode está relacionado a esse crescimento.

Pesquisadores do Hospital Universitário de Bergen, na Noruega, fizeram um acompanhamento de seis meses com 95 homens de meia idade, e constataram que uma refeição com salmão três vezes por semana levou a melhorias no sono e no funcionamento diário do organismo.

Os estudiosos acreditam que isso foi causado pelo conteúdo de vitamina D.

Desafio 7kgs em 6 semanas!

Elimine até 7kgs em apenas 6 semanas!

 
 

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.