Por que ansiedade causa palpitação? Saiba mais

A ansiedade é uma resposta natural do ser humano diante de situações que o nosso cérebro entende como perigosas. No entanto, quando falamos em transtornos de ansiedade, o indivíduo experimenta diversas reações que impactam a qualidade de vida. A palpitação é um dos sintomas mais comuns durante uma crise, mas você por que isso ocorre?

Nos dias atuais, o transtorno de ansiedade é um dos problemas de saúde mental mais comuns. Segundo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é um dos países com mais pessoas ansiosas. Pouco mais de 9% da população é afetada pela ansiedade, o triplo da média mundial. Nessa estimativa, as mulheres são a maioria das vítimas do transtorno.

A palpitação significa uma frequência elevada dos batimentos cardíacos. Dessa maneira, geralmente quando uma pessoa está tendo uma crise de ansiedade surge esse sintoma. 

De acordo com um artigo publicado no jornal American Family Physician, as palpitações devido à ansiedade são mais comuns em quem sofre de estresse excessivo ou naquelas que são sensíveis às sensações do corpo.

comer bem e cuidar da mente

Leia também: Alimentos que combatem a ansiedade: Veja algumas opções

Mas por que a palpitação surge durante uma crise de ansiedade?

A ansiedade ativa o sistema nervoso autônomo (SNA), também conhecido como “resposta de luta ou fuga”. Assim, este sistema tem como objetivo regular a função do coração, pulmão,  sistema digestivo e diversos músculos do corpo.

Dessa forma, o SNA é composto por dois sistemas nverosos: o simpático e o parassimpático.

Quando ocorrem as crises de ansiedade, o sistema nervoso simpático é ativado, pois ele reage à situações que considera perigosas ou estressantes. Por isso, a frequência cardíaca e a pressão arterial aumentam.

Outros sintomas da ansiedade

Os sintomas do transtorno de ansiedade podem variar de pessoa para pessoa. Contudo, os mais comuns incluem:

  • Distúrbios do sono;
  • Tensão;
  • Irritabilidade;
  • Busca por realizar rapidamente as atividades para se ver livre delas;
  • Autocobrança;
  • Pensamento constante no passado;
  • Grande preocupação com o futuro;
  • Dor de cabeça;
  • Hiperventilação (respiração rápida);
  • Suor em excesso;
  • Dificuldades para se concentrar;

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo