Overtraining: Os perigos de treinar em excesso

Praticar atividades físicas regularmente é essencial para manter um estilo de vida saudável. Mas você sabia que fazer exercícios demais pode causar riscos à sua saúde?

“Quando isso ocorre, na maioria das vezes por falta de informação ou orientação correta, pode ocasionar o conhecido overtraining ou Síndrome do Sobretreinamento”, explica Rodrigo Araújo Campos, coordenador técnico da academia Bodytech.

O fenômeno do overtraining acontece quando há um desequilíbrio entre a demanda do exercício e o período de recuperação. Ou seja, a pessoa ultrapassa seu limite sem dar ao corpo o devido descanso. 

“Nada em excesso faz bem e isso não é diferente com os exercícios físicos. Quando levamos a prática de atividade a um nível superior àquele que nosso corpo suporta, tanto em volume quanto em intensidade, geramos processos de fadiga decorrentes da inflamação muscular aguda e da falta de repouso”, detalha o gerente técnico da Bodytech de Ribeirão Preto (SP), Rafael Zimak. 

Leia também: Como perder gordura e ganhar músculo ao mesmo tempo

Riscos do overtraining

Entre as consequências mais comuns desse processo estão indisposição, cansaço e, em casos mais sérios, até mesmo lesões. “Podemos dizer ainda que, quando não deixamos o corpo se recuperar, estagnamos nos resultados e ocorre perda de desempenho.”

O treino em excesso pode também causar problemas em diferentes órgãos, como coração e fígado, e sistemas do organismo, entre eles o locomotor e o circulatório. Além disso, pode estar relacionado a problemas neurológicos, como depressão, estresse e agressividade. 

Rodrigo Campos diz que, para chegar a esse estágio, é preciso deixar de respeitar os sinais do corpo. “Perda de apetite e peso corporal (principalmente massa muscular), imunidade baixa, náuseas ocasionais, distúrbios do sono, frequência cardíaca em repouso elevada: essas são evidências de que se deve dosar o treinamento e a recuperação.”

Leia também: Entenda porque você não consegue perder gordura da barriga

Cuidados com a rotina de treinos 

A frequência recomendada para a prática de atividade física varia de acordo com o nível de condicionamento de cada pessoa. Mas, via de regra, é importante ter entre 1 ou 2 dias de descanso na semana. “Isso vale especialmente para treinos montados por um profissional, que ajusta descanso e recuperação de cada grupo muscular ou sistema do corpo”, observa Rafael. 

Também é necessário ter um período maior no ano para relaxar – suas férias, por exemplo. Assim, seu corpo pode se recuperar de maneira mais completa. 

Uma dica essencial é contar com orientação especializada, tanto no treinamento, com profissional de educação física, quanto na questão da alimentação, com um nutricionista. Fazer um check-up médico antes de iniciar as atividades é outra questão importante.

Por último, lembre-se de sempre respeitar seu corpo, escutando os sinais que ele tem a oferecer. Assim, você pode usufruir ao máximo os resultados das atividades físicas sem prejudicar sua saúde. 

Desafio 7kgs em 6 semanas!

Chegue no verão com o corpo que você quiser!

 
 

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.