4 minerais que ajudam a turbinar os efeitos do treino

Quando o objetivo é ganhar massa muscular, é natural pensar de forma intuitiva em exercícios com pesos e uma alimentação hipercalórica, rica em carboidratos e proteínas. Porém, alguns minerais também são essenciais no mecanismo da hipertrofia – ou seja, o crescimento do músculo.

Isso porque esses macronutrientes são cruciais para reações específicas que resultam na formação de novas fibras musculares, participam do metabolismo dos aminoácidos, aumentam a sensibilidade à insulina, entre outras funções.

Se você quer potencializar ainda mais os efeitos da malhação, inclua os minerais abaixo em seu cardápio diário: 

Magnésio

Além de estar presente em diversas reações no organismo, o magnésio desempenha papel importante na formação das fibras musculares. Pode ser encontrado em vegetais verdes, castanhas, banana e grãos integrais. É importante saber que a água também contém o mineral em sua composição, e que o álcool e a cafeína aumentam sua excreção pela urina.

Ferro 

O ferro cumpre um papel importante no desempenho físico. Como componente da hemoglobina nas hemácias (células vermelhas do sangue), ele permite o transporte do oxigênio para o músculo durante o exercício, por isso, está envolvido na geração do oxigênio e na produção de energia na prática esportiva. Sua ingestão se dá por meio de alimentos como carnes, leguminosas e vegetais verde-escuros.

Cálcio

O cálcio é um mineral importante para a formação e manutenção dos ossos e dentes, combatendo, por exemplo, os sintomas da osteoporose. Ele também auxilia no funcionamento do sistema nervoso e está presente nos processos de coagulação sanguínea e contração muscular.

Onde encontrar: laticínios e seus derivados (queijos e iogurtes), algas marinhas, peixes, vegetais verdes escuros, como o brócolis e o espinafre, ervilhas secas, gergelim integral e castanhas.

Fósforo

Esse mineral, que é o segundo em maior quantidade no organismo, só atrás do cálcio, integra a estrutura de ossos e dentes, auxilia no metabolismo muscular e do sistema nervoso e ainda colabora como componente em muitos sistemas enzimáticos. Ele também contribui diretamente na metabolização do carboidrato que gera energia. A maior parte do fósforo, cerca de 60%, vem dos derivados do leite, carne bovina, aves, peixes e ovos. Outros alimentos ricos em fósforo são: cereais, leguminosas, frutas, chás e café.

Leia também: Treinamento funcional: O que é e como fazer

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.