Afinal, mel é melhor que açúcar?

Muitas pessoas juram que o mel, além de saboroso, é uma alternativa saudável ao açúcar ou adoçantes. Mas, será que é tão benéfico assim? É possível consumir o alimento sem restrições. 

A verdade é que os benefícios de saúde do mel são bastante legítimos, e ele não é um composto de calorias vazias. Ele contém flavonoides e ácidos fenólicos (antioxidantes poderosos), juntamente com quantidades de minerais como o cálcio que constrói os ossos, e o ferro, que combate a anemia. 

Leia também: Óleo de coco emagrece?

Mel x açúcar: Quem leva a melhor?

A revista norte-americana Frontiers in Microbiology divulgou que a substância evita resfriado de várias maneiras: o mel contém bactérias que realmente enfraquecem a capacidade dos patógenos de se multiplicar no organismo, e ainda pode fazer com que os antibióticos funcionem melhor.

Outra vantagem é que o mel é cerca de uma vez e meia mais doce que o açúcar, o que significa que você pode usar menos e ainda obter o mesmo doce gosto de açúcar regular. Ele ainda é rico em probióticos e antioxidantes que você não encontrará no açúcar.

Porém, pode ser fácil abusar do mel, especialmente quando você o adiciona diretamente a sucos, aveia ou outras receitas e não o mede de antemão. É difícil medir as porções ao usá-lo direto da garrafa, e o conteúdo de açúcar ingerido aumenta rapidamente dessa maneira. É preciso saber que o consumo excessivo de mel está relacionado ao ganho de peso, diabetes e cárie dentária. Além disso, há uma quantidade significativa de frutose no mel, açúcar conhecido por causar gases e inchaço.

O mais importante na hora de consumir é observar suas porções e limitar os açúcares consumidos ao longo do dia. O indicado é que a ingestão diária de açúcar total seja menor do que 10% do total de nossa dieta (emagreça com o Tecnonutri) , cerca de 24 gramas de açúcar. Uma colher de sopa de mel fornece 17 gramas de açúcar – mais da metade da recomendação diária. 

Com isso em mente, dá para aproveitar os benefícios do mel, mas é preciso saber que ele é um açúcar como qualquer outro – e deve ser tratado como tal. Basta medir sua porção, mantê-la pequena e observar outras fontes de açúcar consumidas.

Leia também: Afinal, pipoca é mesmo saudável?