O que a meditação pode fazer pela sua saúde

A meditação é considerada uma das maiores tendências de autocuidado, e tem sido comprovado que ela ajuda com tudo, desde aliviar a ansiedade até evitar doenças do coração. Em tempos de coronavírus, ela pode ser uma excelente ferramenta para aquietar a ansiedade na quarentena.

Basicamente, meditação é um termo que abrange uma ampla gama de práticas contemplativas, muitas das quais são extraídas das tradições budistas, mas foram adaptadas e secularizadas para aplicação na sociedade ocidental. 

Embora os objetivos e métodos variem muito dependendo do tipo de meditação, todas têm o objetivo de conduzir a um mergulho dentro de si próprio para o autoconhecimento. No centro de vários deles está uma qualidade chamada atenção plena, uma consciência que surge ao prestar atenção à respiração, sensações corporais, pensamentos, sentimentos e até mesmo à própria consciência.

Leia também: 4 soluções para problemas comuns na hora de meditar

Você se concentra nas sensações de sua caixa torácica subindo e descendo ao inspirar e expirar. Então, sua mente vagueia por pensamentos de preparação para o jantar ou compras, antes de redirecionar sua atenção de volta ao momento presente, concentrando-se novamente em sua respiração.

Conheça os benefícios gerais que a meditação proporciona à saúde:

Alívio da ansiedade

A ansiedade é um fruto dos pensamentos voltados para o futuro. Ela é proveniente de incertezas e fatos que, na maioria das vezes, não estão sob o nosso controle, como as consequências do COVID-19. Mas, quando você passa a ter mais atenção ao que está pensando e fazendo, a ansiedade pelo futuro diminui. O motivo? Nos damos conta de que não vale a pena ficar nervoso ou ansioso por causa de situações que independem da nossa vontade. Ao meditar, você se torna mais ciente do que causa frustração, desequilíbrio e desconforto, e aprende a direcionar essas emoções. 

Segundo pesquisa do Instituto do Cérebro do Hospital Israelita Albert Einstein, oito semanas de práticas de atividades relaxantes, além de respiração, atenção e psicologia positiva diminuíram em 35,3% os sintomas de estresse, 27,84% de tristeza e preocupação e 14% de emoções (medo e irritação, por exemplo).

Menos estresse

Além de sair do piloto automático, alguns minutos de introspecção, em silêncio e respirando de forma consciente, são capazes de aliviar momentos de tensão e nervosismo inerentes ao dia a dia.

Auxilia na cura da depressão

A meditação pode ajudar a reverter os sintomas de depressão. A prática regular pode alterar a atividade cerebral e a atividade dos neurônios, quebrando padrões de pensamentos pessimistas típicos da depressão. No entanto, é preciso buscar ajuda profissional antes de apostar todas as fichas apenas em uma técnica meditativa.

Aumenta a imunidade

Gripes, resfriados, infecções e outros problemas são recorrentes na sua vida? Então, pode ser que o seu sistema imunológico esteja precisando de uma ajudinha – e a meditação pode contribuir com isso. Por melhorar a forma com que a pessoa lida com o estresse e a ansiedade, as defesas do organismo são ampliadas, aumentando o bem-estar.

Protege o coração

Uma pesquisa realizada pelo especialista em medicina preventiva Robert Schneider (publicada pela Associação Americana do Coração), comprova que um dos benefícios da meditação é a redução dos problemas cardíacos. Depois de analisarem mais de 200 voluntários com alto risco de doenças do coração, os pesquisadores perceberam que aqueles que aderiram a técnica de meditação transcendental tiveram 47% menos ataques cardíacos, derrames cerebrais e mortes, quando comparados aos demais.

Mantém o corpo em forma

Um estudo na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, comprovou que os níveis dos hormônios cortisol e estresse podem ser reduzidos ao meditar. E são justamente esses hormônios que têm relação direta com a produção de gordura abdominal. Ou seja, o ponteiro da balança tende a diminuir. 

Leia também: Meditação: Tudo o que você precisa saber sobre a prática

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.