Meditação da compaixão: O que é e como praticar

A meditação da compaixão pode ajudá-lo a pensar fora de si e se sentir mais calmo e esperançoso. O que é muito importante no momento em que estamos vivendo, em que as pessoas devem ficar em isolamento social por conta da pandemia do novo Coronavírus.

Dessa forma, a meditação da compaixão envolve repetir silenciosamente algumas frases que fazem passar do julgamento para o cuidado, do isolamento à conexão e da indiferença ao entendimento.

Ao praticar a meditação, as áreas pró-sociais do cérebro são ativadas. Essas áreas do cérebro também são estimuladas quando se está com amigos ou familiares. 

Como praticar a meditação da compaixão

Você pode começar com uma sessão de 20 minutos e aumentar o tempo gradualmente até meditar meia hora por dia. 

Leia mais em: Coronavírus: O que você precisa saber para se cuidar

Começa com atenção plena

Encontre um objeto para focar livremente. Em seguida você irá observar o objeto e tentar sua atenção apenas naquilo. Não importa se seus pensamentos fiquem vagando, o importante é continuar retornando ao objeto. Isso irá ajudar a criar uma sensação de consciência do que está acontecendo com sua mente e, ao mesmo tempo, a mente desacelera. 

Leia também: Como lidar com o excesso de informação sobre o coronavírus

Pense em um ente querido 

Ao estar focado no seu interior, mude sua atenção para um ente querido que o faz feliz. Quando vemos nossos entes queridos felizes e sorridentes nos traz um sorriso também. 

Em seguida, mentalize boas vibrações para a pessoa que você ama, afastando todo tipo de ansiedade ou sofrimento pelo qual ela possa estar passando. 

Traga de volta a atenção plena

Traga suas intenções para dentro, concentre-se no objeto e termine concentrando-se na respiração. Você sempre inicia e termina a meditação da compaixão com um senso de atenção plena.

Continue durante o dia

Embora uma meditação normal possa levar alguns minutos, o recomendado é levar essa prática com você o dia todo. A qualquer momento, a preocupação com o mundo a fora começa a sobrecarregá-lo, por isso é importante se manter focado na prática. 

Leia também: 4 soluções para problemas comuns na hora de meditar

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo