Mães de crianças pequenas sofrem mais estresse na quarentena

O isolamento social tem afetado a vida e a rotina de todos de diversas maneiras. Mas, são as mães de crianças pequenas que têm sido mais atingidas pelo estresse durante a quarentena. A constatação é resultado de uma pesquisa realizada pelo Departamento de Sociologia e Antropologia Social da Universidade Valência, na Espanha.

De acordo com o estudo, as mulheres que estão cumprindo regime de trabalho em casa não só precisam trabalhar. Mas, também são elas que cuidam das crianças. Muitas vezes cabe a elas ainda facilitar o teletrabalho de seu parceiro, principalmente quando o horário de trabalho do casal é rígido e as interrupções não são permitidas. Assim, segundo a pesquisa, algumas mães têm a sensação de estarem trabalhando o dia todo por conta da flexibilidade de horários durante a pandemia do coronavírus.

Porém, o monitoramento escolar das aulas virtuais dos filhos que se tornou um elemento de maior ansiedade e estresse para mães de crianças pequenas. Essa situação se agrava com o fato de os pequenos também estarem estressados por ficar o tempo todo dentro de casa. 

“Achamos que era necessária uma análise das dificuldades enfrentadas pelas mulheres que precisam combinar os encargos familiares com o horário de trabalho, por home office. Muitas trabalham enquanto cuidam das crianças, e algumas têm a sensação de trabalharem o dia todo. Muitas vezes, ter flexibilidade de horários exige uma demonstração contínua de produtividade e um exercício de responsabilidade junto aos superiores”, defende Empar Aguado Bloise, uma das autoras do estudo.

Leia também: Como proteger a saúde mental das crianças durante a quarentena

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.