Jejum intermitente 16:8: O que é, como fazer e benefícios

O jejum intermitente (comece seu Jejum Intermitente com o Tecnonutri) 16:8 é um protocolo de jejum bastante popular que permite que, ao longo de 8 horas do dia, seja possível comer, ao passo que nas outras 16 horas é feito o jejum. No entanto, esse protocolo não é um tipo de dieta, ou seja, ele não define quais alimentos podem ou não fazer parte da alimentação. Na verdade, ele apenas indica as horas do dia em que o individuo pode comer e as que deve fazer o jejum.

Durante o período de jejum, é possível beber água e outros líquidos, como chás, sucos e café. Porém, não pode haver adição de açúcar ou adoçantes. Ainda, durante esse período, o metabolismo pode sofrer aceleração, o que ajuda na queima de gordura. Não só, isso pode ajudar na regulação hormonal, a prevenir a flacidez do corpo e facilitar a eliminação de toxinas.

emagreça com jejum intermitente

Como fazer o jejum intermitente 16:8

Não há dados que indiquem o número de horas exato que deve durar o jejum para que ele tenha efeito. Por isso, pessoas adotam diferentes métodos, como o 14:10, 0 12:12 e o 8:16. No entanto, no caso do 16:8, realiza-se o jejum por 16 horas e o consumo de calorias se restringe a 8 horas do dia. Isso garante que a “janela” de consumo seja menor e, portanto, a ingestão calórica também torna-se menor.

Por isso, o ideal é que a pessoa que segue o jejum 16:8 se alimente bem ao longo das 8 horas permitidas, mantendo uma dieta balanceada e rica em nutrientes. Não só, priorizar alimentos que promovam saciedade também é recomendável, pois eles são ideais para “segurar a fome” ao longo das outras 16 horas.

No entanto, isso não é nada mais que uma sugestão, pois o plano de não é uma dieta. Ou seja, a forma como a pessoa se alimenta no intervalo em que pode comer depende somente dela – não existe uma dieta específica para seguir. Sendo assim, esse é um plano flexível.

Leia mais: Jejum intermitente: Quantas horas são necessárias para ter efeito

Benefícios do jejum intermitente 16:8

Perda de gordura corporal

A princípio, a prática do jejum faz com que o corpo entre no processo de lipólise, o qual nada mais é do que a queima de gordura. Ele acontece quando o corpo está em déficit calórico, ou seja, quando se consome menos calorias do que se gasta. Em decorrência da lipólise, acontece a cetose – na falta de glicose, o corpo passa a produzir corpos cetônicos como fonte de energia. A dieta cetogênica tem o mesmo efeito.

Além disso, praticar o jejum ajuda a reduzir a quantidade de calorias que ingere-se diariamente, o que pode facilitar esse processo e ajudar na perda de peso. Mais especificamente, na perda de gordura corporal. Por isso, também pode ajudar em casos de obesidade.

Leia também: Jejum intermitente pode reduzir a massa muscular?

Favorece a saúde do coração

Ainda, seguir esse plano também pode beneficiar a saúde do coração. Basicamente, a prática do jejum pode ajudar no controle do colesterol, bem como da pressão arterial. Ou seja, pode prevenir problemas como a pressão alta.

Leia mais: Beber café diariamente reduz risco de pressão alta, diz estudo

Controla a glicemia

Não só, o menor consumo de calorias também pode levar ao melhor controle da glicemia. No entanto, isso pode não ser favorável para pacientes de diabetes. Porém, pode beneficiar outras pessoas, pois evita picos glicêmicos.

Em resumo, picos de açúcar no sangue ocorrem quando o açúcar no sangue sobe muito e depois cai drasticamente após uma refeição. São esses picos que causam fome e podem causar também letargia, ou seja, sensação de cansaço.

Em contrapartida, os picos de insulina também pode prejudicar a saúde. Por exemplo, pode dificultar a perda de peso e, além disso, aumentar o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Por isso, o jejum pode evitar tanto os picos de glicemia quanto os de insulina. Afinal, a produção de insulina é maior quando acontece a liberação de glicose no sangue. Essa liberação acontece quando há o consumo de alimentos ricos em carboidratos.

Leia também: Hipoglicemia reativa: O que é, como evitar e riscos para a saúde

Quem não deve fazer jejum intermitente

A prática do jejum não é uma boa ideia para pessoas dos seguintes perfis:

  • Pessoas com histórico de transtornos alimentares
  • Pacientes de diabetes
  • Mulheres grávidas ou em fase de amamentação

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo