fbpx

IMC: Saiba o que é e como calcular

Você sabe o que é o IMC? Seja por razões estéticas ou de saúde, todo mundo quer estar de bem com o peso do corpo. Mas, poucas pessoas sabem exatamente qual é o peso ideal para determinada altura.

Criado no século 19 pelo matemático Lambert Quételet, o Índice de Massa Corporal, conhecido pela sigla IMC, é um cálculo simples que permite medir se alguém está ou não com o peso ideal. 

Essa é uma das medidas mais utilizadas para definir se uma pessoa está excessivamente magra, saudável ou muito gorda. Basta dividir o peso, em quilos, pelo valor da altura, em metros, ao quadrado. 

Por exemplo, se uma pessoa tem 1,70m de altura e pesa 56 kg, a conta fica assim:

Descubra o seu IMC aqui:

O resultado dessa fórmula matemática poderá indicar, por exemplo, se você está com peso adequado, se apresenta magreza, sobrepeso ou obesidade. Segundo o Ministério da Saúde, o resultado deve ser interpretado de acordo com a tabela abaixo:

Menor que 16 – Magreza grave

16 a menor que 17 – Magreza moderada

17 a menor que 18,5 – Magreza leve

18,5 a menor que 25 – Saudável

25 a menor que 30 – Sobrepeso

30 a menor que 35Obesidade Grau I

35 a menor que 40 – Obesidade Grau II (considerada severa)

Maior que 40 – Obesidade Grau III (considerada mórbida)

Magreza grave

A magreza grave (IMC abaixo de 16) é uma condição que pode ser causada por desnutrição severa. Consulte um médico, pois esse peso é uma ameaça à saúde.

Magreza moderada

Condições hormonais, como o hipertireoidismo, podem afetar o peso de uma pessoa, além de parasitas ou simplesmente uma dieta com poucas calorias diárias. Você pode consultar um médico para ter certeza de que não tem nada de errado.

Magreza leve

Pode ter algumas consequências, mas no geral não é preocupante. Um IMC acima de 17 não fica muito longe do saudável.

Saudável

Essa classificação garante um risco menor para diversas doenças que variam de anemia a infarto. Estar nessa classificação é estar no peso ideal para seu corpo, mas é bom lembrar de verificar a circunferência da cintura em busca de excesso de gordura.

Para mulheres, a cintura deve ter até 80 cm. Para homens, até 94 cm. A cintura deve ser medida logo abaixo das costelas.

Sobrepeso

O Sobrepeso pode causar alguns problemas de circulação no corpo, além de fadiga, mas assim como a magreza leve, se o IMC estiver pouco acima de 25, não é preocupante. Uma dieta com um pouco menos de calorias ou um pouco mais de exercícios na rotina pode resolver a situação.

Obesidade grau I

Acima do IMC 30 a pessoa é considerada obesa, o que por si só já é uma doença. Graças ao peso, o risco para diversas condições aumenta consideravelmente. Um médico pode indicar um meio ideal para a regulação do peso.

Obesidade grau II

Estar com obesidade grau II é ter riscos elevados de diabetes, hipertensão, além de câncer e infarto. Procure um médico para lidar com a situação.

Obesidade grau III

Chamada de obesidade mórbida, esta condição representa sérios riscos à saúde. Procure ajuda médica.

IMC dos idosos

A perda muscular inerente ao envelhecimento também não é levada em conta pela calculadora de IMC padrão. Neste caso, vale usar a mesma fórmula para pessoas acima de 65 anos, mas a classificação deve ser a seguinte:

Magreza: abaixo de 22

Normal: de 22 a 27

Excesso de peso: acima de 27

Mas, com o resultado do IMC em mãos, o que fazer? 

Cada pessoa tem um tipo de corpo diferente. Importante saber que o IMC serve apenas como um instrumento métrico que procura, de uma forma geral e bem ampla, interpretar a forma corpórea das pessoas. Com a análise deste e de outros parâmetros em conjunto, como outras métricas corpóreas (a circunferência abdominal, por exemplo) a avaliação médica e os exames laboratoriais, facilita-se a tomada de uma decisão importante – e difícil – no sentido de perder ou de ganhar peso.

Leia também: Compulsão alimentar: Como identificar e controlar esse distúrbio

“Deve-se levar em conta também outros fatores na quantificação de gordura, como as diferenças estruturais entre homens e mulheres, a anatomia do quadril, que nem sempre diz respeito a diferenças na quantidade de gordura. Inclusive, a circunferência do quadril sofre pouca modificação durante um tratamento de redução do peso, fato que torna o IAC insuficiente no seguimento terapêutico”, explica Dr. Luciano Giacaglia, endocrinologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

O IMC não leva em consideração a composição corporal. Assim, pessoas consideradas magras, mas que carregam muito músculo (e pouca gordura) no corpo podem ter um índice mais elevado – e que não reflete necessariamente o seu estado de saúde.

O professor Naveed Sattar, do Instituto de Ciências Médicas e Cardiovasculares da Universidade de Glasgow, na Escócia, diz que é provável, contudo, que essa seja a situação de menos de 1% dos indivíduos.

Porque o IMC não é perfeito

Alguns pontos cruciais são esquecidos na hora da conta:

Massa óssea

Pessoas com osteoporose têm os ossos frágeis – ou seja, são mais leves. Isso influencia no peso corporal e, consequentemente, no cálculo.

Tipo de gordura

Por ser profunda, a visceral oferece mais riscos do que a subcutânea, localizada logo abaixo da pele. E o IMC não faz essa distinção.

Musculatura

Músculos pesam. Então, olha a ironia: o excesso de peso apontado no IMC pode ser resultado do tempo dedicado à malhação.

Sexo

O índice despreza diferenças físicas entre homens e mulheres. Isso abala a conta, pois eles tendem a ser mais altos e musculosos do que elas.

Meu IMC não está saudável. O que fazer? 

Não existe fórmula mágica: combinar dieta e atividade física é a maneira mais eficaz de evitar o sobrepeso e a obesidade. Mas não adianta mudar de uma hora para outra. É importante fazer isso deve ser feito de maneira gradual e com um cardápio saudável e variado.

Perder peso com saúde

Para perder peso com saúde o indicado é aprender a se alimentar melhor. Nada de restringir a alimentação por si, escolhendo sopas, shakes ou chás milagrosos. Nada de se restringir a comer somente proteínas e limitar os carboidratos.

Você precisa ter consciência das escolhas mais saudáveis para emagrecer gradativamente e com saúde.

Leia também: Bebidas e ingredientes que ajudam a emagrecer

Assim, após chegar em seu peso ideal você será capaz de se manter no peso dos sonhos. Afinal, pensa só, você não vai viver a vida inteira de shakes emagrecedores, sopas para emagrecer ou só comendo proteína. Não, você vai voltar a comer da mesma forma de antes, mantendo os mesmos hábitos que a levaram a engordar.

Aprender a comer melhor é a maneira mais eficiente de perder peso com saúde e mantê-lo pela vida toda. Confira algumas dicas para emagrecer rápido, perder peso em dias e secar barriga:

Aposte em alimentos que queimam a gordura

Alguns alimentos ajudam a emagrecer porque estimulam a queima de gordura. O chá de hibisco, lichia, farinha de amora estão entre eles.

Coma alimentos que desincham

Alimentos ricos em ômega 3 (salmão, atum, sardinha, arenque, cavala, linhaça, castanhas) contribuem para o emagrecimento devido à ação anti-inflamatória.

Aumente a saciedade

Alimentos ricos em fibras proporcionam maior saciedade, logo a fome demora mais a aparecer, o que ajuda você a emagrecer. As principais fontes de fibras são: frutas, cereais integrais, como arroz, trigo, centeio, cevada e a aveia. As leguminosas, como feijões, lentilha, grão de bico e ervilha e as verduras e legumes também contam com boas quantidades de fibras. As sementes, como a chia, linhaça e semente de abóbora, também tem fibras.

Consuma alimentos que aceleram metabolismo

Os alimentos com ação termogênica estimulam a maior queima de calorias e ajudam você a emagrecer. Os principais alimentos termogênicos são: pimenta, chá verde, canela, gengibre e café.

Invista em um prato equilibrado e variado

Uma alimentação saudável pede equilíbrio de nutrientes e variedade de alimentos. Para emagrecer vale investir em frutas, legumes, verduras. Não se esqueça de completar o menu com diferentes tipos de carnes, cereais, leguminosas (feijão, lentilha), leites e derivados, grupos alimentares essenciais para a alimentação diária.

Pratique exercícios que queimam gordura

A Organização Mundial de Saúde recomenda praticar ao menos 150 minutos de exercícios moderados por semana para uma pessoa ser considerada ativa. Ou seja, praticando uma hora de exercício em três dias na semana (180 minutos), você já ultrapassa essa meta! Para queimar gordura e emagrecer é importante investir em atividades aeróbicas como: caminhadas, corridas, bicicleta, dança, natação, entre outros.

Diminua o consumo de sódio e açúcar

O s produtos industrializados são a principal fonte de sódio, mineral que em excesso no organismo aumenta o risco de hipertensão e a retenção de líquido. Já o açúcar consumido em excesso se transforma em acúmulo de gordura, principalmente na região da barriga. Alimentos fontes de carboidratos simples são ricos em açúcar. Entre eles estão: açúcar de adição, refrigerantes, doces e os que contam com muita farinha branca, como pães, massas e bolos.

Beba uma média de dois litros de água por dia

Consumir os líquidos certos contribui e muito para emagrecer de forma saudável. A recomendação é ingerir entre 30 a 35 ml por kg de peso corporal de líquidos, o que em média fica em torno de 2 litros por dia. Veja a importância de tomar água durante o dia para o emagrecimento e dicas de consumo.

Beba chá

Bebidas como o chá verde, chá de casca de laranja, de limão, de mexerica ou de jabuticaba, e chá de gengibre têm alto teor de fitoquímicos que previnem doenças, maximizam a perda de gordura e o aumento da massa magra. Eles também ajudam a silenciar os genes envolvidos com o ganho de peso.

Leia também: Melhores alimentos para emagrecer de vez

Revisado por

Vanessa Losano
Vanessa Losano - Nutricionista CRN3 34283
Nutricionista e coach de emagrecimento, saúde e bem-estar. Foco profissional em emagrecimento, lowcarb e doenças crônicas não transmissíveis. Atua na empresa tech fit e atende em consultório, além de ministrar cursos e palestras na área. Possui cursos de atualização em Lowcarb, Fitoterapia, Avaliação Antropométrica e Nutrição Esportiva.
 
 

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.