Como controlar os hormônios da fome

Perder peso é uma equação mais complicada do que se imagina. Ainda que alimentação balanceada e exercícios sejam inegavelmente essenciais, não são as únicas coisas que interferem no emagrecimento. Algo que é muito negligenciado – e não deveria ser, são os hormônios. 

O que são os hormônios da fome?

O sistema que regula o peso corporal é complexo e envolve o cérebro, o estômago, o intestino e mais. Sendo assim, os hormônios da fome são aqueles que interagem com diferentes partes do corpo e possuem impacto significativo no peso corporal, bem como no apetite, de forma que responde ao balanço de energia corporal.

Apesar de por vezes parecer que estamos “fora de controle”, essa sensação não é verdadeira, visto que certamente podemos controlar esses hormônios – em casos “normais”.

Leia também:  Estratégias para controlar a compulsão alimentar

Exemplos de hormônios da fome 

Os dois principais hormônios da fome são a grelina e a leptina. Conheça-os.

  • Grelina

A grelina é produzida no estômago, quando o cérebro sinaliza que o estoque de comida e açúcar do corpo estão baixos, ou seja, devem ser repostos. Desse modo, esse hormônio nos impulsiona a comer

  • Leptina

Em contrapartida, a leptina é o hormônio da sensação de saciedade, ou seja, aquele que nos diz “você está cheio”. Produzido pelo tecido gorduroso, é o hormônio anti-fome. Quando liberado no corpo, o cérebro entende que o organismo já foi alimentado e nutrido, por isso, não há necessidade de comer por enquanto.

Ambos trabalham em equilíbrio no corpo, garantindo sua nutrição e saciedade. 

Consequências do desbalanço hormonal

Entretanto, pode haver desbalanço entre eles, pessoas que sofrem de, por exemplo, diabetes ou obesidade são atingidas. Assim como existe a resistência à insulina, há a resistência à leptina. 

A resistência à leptina consiste em, basicamente, o corpo não reagir apropriadamente ao hormônio. Sendo assim, o organismo não entende que já está cheio e, portanto, segue comendo. Dessa maneira, muitas pessoas sofrem de compulsão alimentar devido a isso.

Na verdade, a leptina trabalha conjuntamente com a insulina. Portanto, a resistência a um desses hormônios está intimamente ligada a resistência ao outro. 

Leia também: Quando o estresse vira compulsão alimentar

Como a alimentação ajuda a controlar esses hormônios

Sua alimentação pode agir de forma efetiva no controle hormonal. Em princípio, recomenda-se especialmente a ingestão de alimentos ricos em fibras. A razão para isso é que esses alimentos, graças à sua ação digestora, ajudam no controle dos níveis de insulina, assim, interfere também nos níveis de grelina, bem como de leptina. 

Além disso, fibras insolúveis ajudam na perda de peso e possuem ação anti-inflamatória.

Portanto, recomenda-se:

  • Uma dieta (emagreça com o Tecnonutri) rica em fibras;
  • Alta ingestão de água;
  • Alimentos com propriedades anti-inflamatórias;
  • Alimentos com propriedades anti-oxidantes.

Leia mais: Dieta dos Hormônios: O que é e como seguir

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo