Hipervigilância: O que é, quais os sintomas e como lidar

A hipervigilância é um estado de atenção, sensibilidade e alerta do seu ambiente. Isso pode fazer com que você se sinta alerta a qualquer perigo oculto. No entanto, muitas vezes esses perigos não são reais.

Ela pode ser caracterizada como um sentimento desagradável. Isso porque você não apenas percebe as sensações mais prontamente, como também é provável que não consiga desviar sua atenção delas.

Pode acontecer com a maioria das pessoas. Por exemplo, quem assiste a um filme de terror ou visita uma casa temática “mal-assombrada” geralmente fica aterrorizado com alguns ruídos, como portas batendo. Assim, outros podem ser hipervigilantes quando se trata de coisas específicas, como sons agudos ou desconforto físico. 

Sintomas 

Pessoas com hipervigilância podem provavelmente experimentar os seguintes sintomas: 

  • Inquietação
  • Paranoia
  • Distração de tarefas importantes, conversas com outras pessoas e entretenimento
  • Frequência cardíaca rápida
  • Medo
  • Raiva
  • Depressão
  • Isolamento
  • Distúrbios de sono
  • Sensação de desamparo
  • Dependência
  • Tendência a brigar ou discutir com as pessoas
  • Exaustão
  • Mudança no apetite

Causas

A hipervigilância pode ser causada por diversos fatores. Por exemplo, transtorno de estresse  pós-traumático (TEPT), fibromialgia, hipertireoidismo, doença adrenal, privação do sono, ansiedade e esquizofrenia são alguns dos distúrbios médicos que aumentam a probabilidade de hipervigilância. Além disso, existem gatilhos comuns que podem causar ou contribuir para episódios da condição:

  • Sentir-se preso ou claustrofóbico
  • Sensação de abandonado
  • Ouvir ruídos altos (especialmente se forem repentinos ou carregados emocionalmente), que podem incluir gritos, discussões e estrondos repentinos
  • Antecipar dor, medo ou julgamento
  • Achar que está sendo julgado
  • Dor física 
  • Sofrimento emocional
  • Lembranças de traumas passados
  • Estar em torno de comportamentos aleatórios e caóticos de outras pessoas

Tratamento e como lidar 

O médico irá determinar a melhor maneira de tratar a hipervigilância, seja com terapia ou medicamento. Então, o ideal é encontrar um terapeuta que tenha uma abordagem que faça você se sentir confortável. Dessa maneira, pode ser necessário conversar sobre certos traumas e experiências que podem ter levado aos medos atuais. 

Leia mais em: Meditação de escaneamento corporal: O que é e benefícios

Em conclusão, você aprende novas maneiras de lidar com a hipervigilância e ansiedade. Além disso, as técnicas que podem reduzir os sintomas são:

Leia também: Atividades que ajudam a lidar com o estresse na quarentena

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo