Glossofobia: Como funciona o medo de falar em público

A glossofobia consiste basicamente no medo de falar em público, algo mais comum do que parece. De acordo com estudos, cerca de 75% da população apresenta sintomas de pânico ao apresentar um trabalho, projeto ou um simples discurso.

Para entender melhor, a fobia é o medo exagerado a algo ou alguém, na qual o indivíduo acredita em outra realidade. Assim, ocorrem sentimentos de angústia e ansiedade extrema. Fobias são consideradas patologias pelos especialistas, pois o medo vai muito além do normal. Por isso, essa condição pode prejudicar seriamente a rotina.

Apesar de ter os sintomas semelhantes à sociofobia, é necessário diferenciá-la da glossofobia. Isso porque a fobia social é caracterizada pelo medo de estar em público e de ser avaliado negativamente pelos outros. 

Leia também: Amaxofobia: Saiba como perder o medo excessivo de dirigir

comer bem e cuidar da mente

Como identificar a glossofobia

A intensidade dos sintomas varia de acordo com a gravidade de cada caso, porém, os mais comuns incluem:

  • Aumento da frequência cardíaca;
  • Sudorese;
  • Tremores;
  • Pressão arterial elevada;
  • Náuseas;
  • Sensação de boca seca;
  • Evitar eventos que tenham seu foco em indivíduos do grupo;
  • Tensão muscular na região do pescoço;
  • Voz fraca e trêmula;
  • Sensação de pânico;
  • Medo de parecer “tolo”;
  • Medo de ser julgado.

Leia também: Entomofobia: Entenda o medo de insetos e como identificá-lo

Causas

Embora não tenha uma causa exata, acredita-se que a glossofobia surge como resultado de um trauma vivido pelo indivíduo, que pode ter sido experimentada ainda na infância ou mesmo na vida adulta.

Além disso, de acordo com especialistas, parte das pessoas que sofrem de glossofobia costuma ter baixa autoestima e perfeccionismo. A busca constante por aprovação e o medo de ser julgado também são características comuns.

Leia também: Nictofobia: Quando o medo do escuro se torna uma fobia

Como tratar a glossofobia

Assim como outras fobias, o tratamento da glossofobia tem diferentes abordagens. Geralmente, é recomendado a psicoterapia para aprender a lidar melhor com os sintomas, entendendo quais são os gatilhos emocionais até que isso não seja mais uma patologia. Ainda, com algumas estratégias de enfrentamento é possível reduzir os sintomas:

  • Reconhecer  a fobia como um problema real é o primeiro passo para encontrar soluções e superá-la.
  • Realizar simulações de palestras e apresentações para amigos e familiares é fundamental para que você comece se sentir menos incomodado ao falar em público.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo