Gaslighting: O que é e como reconhecer

O abuso psicológico existe em diversas relações, desde as amorosas até as familiares. Mas o que você talvez não saiba é que existe um termo para isso: gaslighting. O gaslighting é uma forma de abuso psicológico. Assim, é o ato de manipular a vítima, forçando-a a questionar seus pensamentos, memórias e os eventos que ocorrem ao seu redor. 

Dessa maneira, a manipulação na maioria das vezes tem como intuito fazer a vítima se achar “louca”. Como consequência, ela começará a questionar sua realidade, acreditando que é o único motivo de problemas no relacionamento. 

Apesar de não ser um diagnóstico de saúde mental, o gaslighting  ganhou credibilidade como um problema real. O termo, que foi criado em 1960, surgiu do filme Gaslight. O longa conta a história de uma personagem que é manipulada pelo marido, que diminui a luz e o gás da casa deles com a intenção de fazê-la questionar sua própria sanidade. 

Leia também: Relacionamento abusivo aumenta risco de depressão e ansiedade

comer bem e cuidar da mente

Como reconhecer

Para saber se você é uma vítima de gaslighting, é fundamental estar atento aos sinais, que incluem:

  • Não estar se sentindo mais como a pessoa que você costumava ser;
  • Ficar mais ansioso e menos confiante do que antes;
  • Acreditar que tudo o que você faz é errado, se culpando na maioria das vezes;
  • Pedir desculpas para o seu parceiro frequentemente;
  • Questionar constantemente se sua resposta ao seu parceiro é apropriada;
  • Evitar conversar sobre seu parceiro com familiares ou amigos;
  • Sentir-se isolado dos amigos e família;
  • Sentir-se desesperança e ter pouco ou nenhum prazer nas atividades que gostava.

Leia mais em: Descubra se você está em um relacionamento codependente

Procurando ajuda

O primeiro passo é reconhecer que você é uma vítima de gaslighting e está vivendo um relacionamento abusivo. Desse modo, a próxima etapa é buscar ajuda profissional com um psicólogo ou psiquiatra que irá filtrar suas dúvidas, medos e compreenderá sua realidade. Para que assim, você seja capaz de gerenciar sua ansiedade, desenvolvendo habilidades de enfrentamento e percebendo que aquilo não lhe faz bem.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo