Benefícios da atividade física para quem sofre de fibrose cística

A fibrose cística é uma doença genética e grave que compromete o funcionamento das glândulas produtoras do muco, suor ou enzimas pancreáticas. Devido a alteração da secreção destas células, alguns órgãos são mais comprometidos, como os pulmões, o fígado e o pâncreas. Assim, ocorre um comprometimento pulmonar. Isso porque o acúmulo de secreções nas vias aéreas provoca dificuldade na passagem de ar para os pulmões. Consequentemente há proliferação de bactérias causando infecções.

Nesse sentido, pessoas que sofrem de Fibrose Cística (FC) têm dúvidas se a prática de atividades físicas pode prejudicar ainda mais. No entanto, ao contrário desse pensamento, exercitar-se traz diversos benefícios para a saúde física e mental.

Leia também: Benefícios da atividade física na insuficiência cardíaca

Apesar de parecer que o excesso de esforço físico aumentaria os problemas respiratórios, na verdade acontece o contrário. Os exercícios são essenciais pois ajudam não só no fortalecimento dos músculos respiratórios, como também na remoção do muco das vias aéreas. Além disso, os pacientes também devem realizar sessões de fisioterapia para melhorar a qualidade de vida. 

Dessa maneira, os especialistas recomendam exercícios aeróbicos e respiratórios, visando principalmente à reexpansão pulmonar, pelo fato do acúmulo de secreções causar o “fechamento” de alguns alvéolos.

Leia também: Sedentarismo e risco de câncer: Entenda a relação

Antes de mais nada, é importante ressaltar a necessidade de buscar ajuda médica para entender se você está realmente adepto à prática de esportes. Ainda, ao fazer os exercícios é fundamental estar ao lado de um educador físico para evitar lesões e outros problemas.

Principais benefícios da atividade física para quem tem fibrose cística

  • Melhorar a capacidade pulmonar;
  • Aumentar força e resistência;
  • Expandir a energia;
  • Promover a limpeza das vias respiratórias, ajudando a prevenir infecções respiratórias;
  • Aumentar a densidade e prevenir a perda de massa óssea.

Leia também: Benefícios e riscos da atividade física em jejum

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo