Diferença entre a fibra solúvel e a insolúvel

A fibra é um dos nutrientes mais importantes e essenciais da nossa alimentação, mas há dois tipos desse: a fibra solúvel e a insolúvel. Afinal, quais as diferenças entre eles? As fibras são absolutamente essenciais para a plena saúde do organismo, de modo que tem influência direta no funcionamento intestinal, promovem saciedade e auxiliam no fortalecimento da imunidade.

Ainda, uma dieta rica em fibras está diretamente ligada à boa saúde do coração e prevenção de doenças como a diabetes.

Assim, a recomendação é que, diariamente, homens consumam cerca de 38 gramas de fibras e, para as mulheres, a quantia recomendada é de 25 gramas. 

Diferenças entre a fibra solúvel e a insolúvel

Sendo assim, qual a diferença entre a fibra solúvel e a insolúvel? Elas são igualmente importantes para a saúde? 

A fibra solúvel 

Basicamente, essa fibra leva mais tempo para ser digerida pelo corpo. Portanto, é dessa forma que auxilia no controle da glicose no sangue. Assim, seu consumo é especialmente ideal para pessoas com diabetes. Ainda, adicionar maior quantidade de fibra solúvel na sua dieta garantirá que picos glicêmicos acontecem menos frequentemente, ou seja, ela garante energia por mais tempo, e também ajuda na diminuição do nível de colesterol mau (LDL) no sangue. 

A princípio, alguns alimentos ricos nessa fibra são: 

A fibra insolúvel

Ao contrário da solúvel, a fibra insolúvel acelera a digestão. De forma que acelera o processo digestivo, a fibra insolúvel tende a ser mais “pesada” no corpo, ou seja, mais frequentemente provoca a sensação de estufamento. Ainda que isso possa não parecer ideal, é na verdade benéfico para a saúde. Assim, essa fibra não é integralmente digerida pelo organismo e previne a constipação. 

Por fim, algumas das melhores fontes de fibra insolúvel são: 

Como consumir mais fibras

Essencialmente, as duas fibras são igualmente importantes e seu consumo deve ser aliado. Portanto, entenda como consumir ambas as fibras. 

O consumo de fibras não deve ser radicalmente aumentado repentinamente. A razão para isso é que, surpreendentemente, seu efeito pode ser contrário ao que esperado. Assim, é possível que o excesso de fibras provoque constipação, desconforto abdominal, inchaço e gases. A especialista também aconselha a sempre aliar o consumo de fibras à ingestão adequada de água

Em suma, a recomendação é aumentar diariamente, aos poucos, sua ingestão de fibras. Dessa forma, é possível obter os bons efeitos das fibras ao adicionar na dieta alguns alimentos que sejam ricas fontes do nutriente. 

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo