Existe problema em fazer o mesmo treino todos os dias?

Quando o assunto é malhar, algumas pessoas preferem diversificar o treino, intercalando membros inferiores com superiores ou até trocando de modalidade ao longo da semana – um dia de HIIT, um de descanso e outro de caminhada, por exemplo. Mas, tem que siga à risca a mesma sequência de movimentos e músculos trabalhados todos os dias, por semanas ou até meses. Será que é uma boa ideia?

Ao se exercitar, você está exercendo estresse sobre o corpo. Assim, os músculos se recuperam e se adaptam durante o tempo de inatividade. Isso permite que você colha os benefícios da atividade física mais rápido, ficando forte e tonificado.

Portanto, repetir o mesmo treino antes que você se recupere totalmente interrompe o processo de recuperação natural do organismo. Assim, uma recuperação insuficiente pode causar danos aos tendões, ligamentos e articulações. Além disso, a falta de recuperação a longo prazo também pode levar ao overtraining ou Síndrome do Sobretreinamento, que ocorre quando o corpo entra em um estágio de colapso crônico pelo excesso de exercícios.

Outra questão é que, ao repetir os mesmos movimentos, a chances de trabalhar todos os músculos de forma uniforme e constante se torna menor. Ao modificar as atividades e o exercícios em si, o corpo recebe o trabalho muscular de forma mais homogênea. Afinal, quem foca no agachamento todo dia pode esquecer braços e costas. Assim como que só entra na academia para levantar peso não prioriza regiões como glúteos e panturrilha.

Leia mais em: Overtraining: Os perigos de treinar em excesso

Da mesma forma, fazer os mesmos exercícios todos os dias pode se tornar cansativo a ponto de tornar a atividade monótona. Por outro lado, exercitar-se de maneira diferente impede de o treino cair no marasmo. 

Treino HIIT e modalidades mais intensas

Modalidades mais intensas e que exigem mais dos músculos, como Crossfit e treino intervalado de alta intensidade (HIIT) não devem ser feitos todos os dias da semana nem com movimentos diferentes. Isso porque eles podem danificar os tecidos musculares e drenar a energia armazenada quando praticados sem o devido intervalo. Dito isso, é necessário mais tempo para uma recuperação adequada nesses casos.

Leia também: Treino HIIT de baixo impacto para fazer em casa

Nada em excesso faz bem e isso não é diferente com os exercícios físicos. Quando levamos a prática de atividade a um nível superior àquele que nosso corpo suporta, tanto em volume quanto em intensidade, geramos processos de fadiga decorrentes da inflamação muscular aguda e da falta de repouso.

Por fim, quem não está acostumado com esse treinamento, praticar cinco ou mais vezes por semana pode ser extremamente prejudicial à saúde.

Leia também: HIIT: Aula curta e intensa para queimar gordura

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo