Flexibilidade: Entenda o que é e sua importância

Se você pratica atividade física, é provável que reserve um tempo para exercícios aeróbicos e treinamento de força para construir ou manter a massa muscular. Mas, quanto tempo você dedica ao treinamento de flexibilidade?

Embora muitas vezes negligenciado, o exercício de flexibilidade é parte crucial da manutenção de um corpo saudável em geral. Assim, o alongamento regular pode ajudar a melhorar a postura, aliviar a tensão muscular e até reduzir o risco de lesões.

Portanto, se você precisa se esforçar para alcançar os dedos dos pés durante uma aula de ioga, ouça seu corpo e confira dicas que o ajudarão a melhorar a flexibilidade e finalmente tocar os dedos dos pés.

Os maiores problemas de flexibilidade

Se você sente um puxão na parte de trás das pernas

Às vezes, a fraqueza no corpo pode ser interpretada como falta de flexibilidade. Em alguns casos, sentir um puxão ou um aperto na parte de trás das pernas quando tenta alcançar os dedos dos pés pode indicar fraqueza nos músculos posteriores das coxas, em vez de falta de flexibilidade. 

Por isso, incorporar exercícios de fortalecimento na região pode ajudar a melhorar a amplitude de movimento. Da mesma forma, não se esqueça de fazer alongamento com rolo de espuma miofascial depois de se exercitar. O acessório pode ajudar a promover o fluxo sanguíneo para esses músculos, promovendo relaxamento e flexibilidade.

Leia também: Rolo de liberação miofascial: O que é e para que serve

A questão na flexibilidade é a tensão no quadril 

Se você ainda não está convencido por todas as razões pelas quais ficar sentado por horas não é saudável, aqui está outra: quadris tensos. Isso porque os flexores do quadril, um grupo de músculos na frente dos quadris, adaptam-se a ficar em uma posição encurtada após longos períodos sentado.

Quando encurtados cronicamente, os flexores puxam a pélvis, fazendo com que ela se incline para a frente (também conhecida como inclinação pélvica anterior). Uma inclinação pélvica anterior coloca tensão antes de você chegue perto de alcançar os dedos dos pés. Com isso, não deixa muito espaço para o alongamento se os músculos posteriores da coxa já estão no limite.

Portanto, se possível, levante-se e se mova com mais frequência ao longo do dia por pelo menos alguns minutos rápidos. Considere definir um alarme no telefone que o lembre de levantar-se a cada hora. E certifique-se de esticar os flexores do quadril corretamente posicionados na cadeira. 

Pontadas na região da lombar

Seus músculos não são os únicos obstáculos potenciais para tocar os dedos dos pés. Se você começar a sentir um beliscão na parte inferior das costas que abate as pernas, pode estar sentindo tensão no sistema nervoso.

Idealmente, nossos nervos devem poder deslizar e se mover independentemente de outros músculos e tecidos ao seu redor. Mas, a fraca mobilidade nervosa pode causar tensão nesse movimento, que começa na parte inferior das costas ou na parte de trás das pernas. Exercícios de mobilidade, como um alongamento ativo dos músculos posteriores da coxa, podem ajudar a aliviar essa tensão.

Outra coisa a ter em mente quando se trata do nervo ciático é a postura. Como o nervo ciático vem da coluna, a postura sentada é muito importante. Portanto, certifique-se de ter a parte inferior das costas apoiada. Da mesma forma, se estiver sentado por um longo tempo, mantenha um travesseiro na cadeira para obter suporte adicional.

Leia também: Não consegue fazer prancha? Entenda o que seu corpo quer dizer

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.