Exercícios de alta intensidade podem baixar a imunidade?

Em tempos de coronavírus e isolamento, nunca se falou tanto em imunidade, para se manter mais forte para impedir o desenvolvimento da doença. Também, o número de pessoas que passou a treinar em casa, seja para cuidar da saúde ou até mesmo passar o tempo, aumentou. Basta ver a quantidade de fotos e lives nas redes sociais com gente se exercitando em casa. E aparece de tudo, de uma aula de yoga aos treinos com exercícios de alta intensidade, como HIIT e Crossfit.  

Porém, em tempos de pandemia, muito tem se questionado se a atividade física muito intensa é segura para o organismo com um vírus tão comprometedor à solta. Mas então, será que exercícios de alta intensidade podem baixar a imunidade?

Antes de responder à pergunta, é preciso deixar claro que praticar atividades é essencial para a saúde física e mental. Além disso, os exercícios podem ser uma ótima maneira de aumentar a imunidade, especialmente agora, que tanto se frisa a importância de estar com o corpo imune. 

Exercícios de alta intensidade x imunidade: O que diz a ciência

O exercício diário é um maravilhoso para a mente e corpo. Além dos benefícios para o humor e saúde em geral, há evidências de que exercícios de intensidade moderada melhoram a função imunológica. 

Um sistema imunológico mais forte significa que, quando o corpo se depara com qualquer tipo de infecção, ele revida. Contudo, o exercício em excesso e consistente pode suprir a função imunológica e aumentar a probabilidade de contrair uma infecção no trato respiratório superior, de acordo com um estudo feito em setembro de 2012, publicado na Sports Medicine. 

Leia também: Qual é a quantidade certa de exercícios físicos?

Por exemplo, estudos que analisaram a imunidade entre corredores de maratona descobriram que os atletas mostraram consistentemente uma queda nos níveis de interleucina – um dos principais hormônios que desencadeiam uma resposta imune – 48-72 horas após uma corrida. Tradução: Após um treino intenso e prolongado, você é menos capaz de combater infecções.

Isso porque o corpo humano não foi projetado para exercícios de alta intensidade que duram várias horas. O organismo consome glicogênio – reservas de carboidratos – durante a atividade, os hormônios do estresse são liberados, enviando o sistema imunológico para o modo de “bandeira vermelha”. 

Então, se você deseja iniciar um programa de atividades na esperança de fortalecer o sistema imunológico, não exagere. Portanto, em vez de fazer o máximo de flexões e agachamentos que você puder em 30 segundos, reduza a marcha e mantenha seus treinos na zona de intensidade moderada.

O que fazer então?

Agora, tudo isso não quer dizer que você deve abandonar totalmente o seu treino Tabata. Em vez disso, vale limitar qualquer trabalho de alta intensidade a menos de um terço do seu tempo total de exercício. 

Leia também: Método Tabata: O que é e como funciona

Veja como manter a intensidade do exercício sob controle (e ainda manter os benefícios para a saúde):

  • Faça exercícios todos os dias por um período mínimo de 30 minutos;
  • Exercite-se no quintal ou varanda, se puder. O ar fresco é excelente para benefícios físicos e mentais;
  • Mantenha seu exercício na zona moderada – ou seja, você deve poder falar enquanto treina;
  • Priorize o tempo de recuperação antes do próximo treino;
  • Acima de tudo: ouça seu corpo. Se ele estiver dizendo para você recuar, preste atenção.

Leia também: Maneiras de aumentar as defesas naturais do corpo

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.