Pequenos erros que prejudicam o emagrecimento

Você segue uma alimentação balanceada, pratica atividades físicas e foge de fast food e industrializados sempre que possível. Mas, por mais que esteja com foco no processo de perder peso, está com dificuldades de ver os resultados na balança. Pode ser que, apesar do seu empenho, você esteja cometendo pequenos erros que prejudicam o emagrecimento.

Conheça os mais comuns e saiba como contornar:

Erros que prejudicam o emagrecimento

Falta de sono 

O sono faz parte de uma rotina saudável e, acredite, pode mudar sua vida se estiver em dia. A primeira razão é óbvia: o corpo precisa de descanso para recompor as energias, independentemente do seu estilo de vida.

O outro motivo é que durante o período de descanso, o corpo realiza uma espécie de “faxina”, colocando tudo em ordem. Fortalece a imunidade, libera hormônios, regula as funções neurais, o metabolismo e outras funções importantes que regem a saúde do organismo.

Há relação direta entre tempo reduzido de sono e sobrepeso ou obesidade. Assim, quem está privado de sono tem um aumento de nos níveis de grelina (hormônio que aumenta a fome) e redução de leptina (hormônio que diminui a fome), quando comparados a indivíduos que dormem adequadamente. Além disso, se você está dormindo pouco, pode ter aumento de apetite por alimentos com alto teor calórico, ricos em carboidratos.

Pensando nisso, antes de dormir, faça alguma forma de relaxamento. Por exemplo, respiração ou meditação. Passar alguns minutos em silêncio, de olhos fechados e apenas atento à respiração ajuda a aliviar a ansiedade e o estresse do dia, que são responsáveis pela insônia e sono desregulado. Colocar uma música relaxante também é uma boa opção.

Além disso, pratique exercícios regularmente. De preferência em horários distantes da hora de dormir. Evite fazer exercícios 4 horas ou menos antes de dormir. Se possível, escolha o horário da manhã. 

Da mesma maneira, evite ingerir bebidas estimulantes depois das 18h: café, refrigerante de cola, guaraná, chimarrão e alguns tipos de chá (preto e verde).

Pouca hidratação

A desidratação ocorre quando mais líquido deixa seu corpo do que o que é ingerido. Os sintomas incluem: fadiga, irritabilidade, dores de cabeça, náuseas, aumento da frequência cardíaca e, em casos extremos, até morte. Beber pouca água também retarda o metabolismo, o que impede a perda de peso.

De acordo com a nutricionista Maria Fernanda Vischi D´Ottavio, do Check-up HCor (Hospital do Coração), cada pessoa precisa de uma quantidade diferente de água. “A variação ocorre por conta do peso de cada indivíduo.” Para calcular o valor mais indicado por dia, no caso de um adulto saudável, a conta é simples: são 35 ml de líquido por quilo de peso. Então, enquanto uma pessoa de 45 kg precisa tomar 1,5 litros de água todos os dias, alguém que pesa 60 kg deve ingerir 2,1 litros. 

Essa, porém, é a regra básica. “Há muitos fatores que podem influenciar e mudar esse valor. Por exemplo, idosos e atletas precisam consumir mais água, mulheres que estão amamentando e pessoas com metabolismo mais acelerado também”, explica Maria Fernanda. Além disso, fatores externos, como períodos de muito calor e baixo nível de umidade relativa do ar, podem exigir hidratação mais intensa. 

“Quando uma pessoa começa a sentir sede, isso significa que seu corpo já entrou em processo de desidratação”, diz a nutricionista. Por isso, é importante beber água antes da sensação aparecer. A orientação é distribuir o consumo ao longo do dia para não ficar muitas horas sem se hidratar e manter o corpo funcionando regularmente.

Estresse em excesso é um dos erros que prejudicam o emagrecimento

Você já deve ter ouvido falar do cortisol. Ele é conhecido como o hormônio do estresse porque aumenta quando se está no limite e pode causar danos ao organismo se os níveis níveis saírem do rumo. A relação entre estresse e ganho de peso envolve taxa de metabolismo, falta de exercício e outros fatores. Mas, o cortisol é em parte culpado porque estimula o apetite. Sob estresse, os níveis de ansiedade sobem descontroladamente. Isso porque somos dotados de um gene que, nessas horas de turbulência emocional, bombeia uma proteína produzida no cérebro e nos faz sentir vontade de comer exatamente alimentos doces e gordurosos.

Por isso, muitas pessoas quando estressadas tendem a comer mais e compulsivamente, principalmente doces. Ou seja, esse é um ciclo vicioso que o corpo não entende que deve parar: quanto mais estresse, mais cortisol, maior a vontade de comer doce e maior a circunferência abdominal.

São as pequenas coisas do dia a dia que fazem a diferença. Permita-se priorizar as atividades de reabastecimento, como meditação e yoga. Eles não apenas ajudarão a se sentir melhor no momento, mas também agirão como um escudo protetor contra o estresse do futuro.

Portanto, se você estiver se sentindo sobrecarregado, vale mudar temporariamente de treinos de alta intensidade para um condicionamento físico mais suave, como caminhar ou nadar. O exercício aumenta seu cortisol e, embora isso seja normal, nem sempre é tranquilo para quem já está estressado. Já para um alívio rápido, tente se conectar com a natureza.

Pedir comida com frequência

A melhor maneira de manter uma alimentação equilibrada à risca é montando uma lista de compras e preparando as refeições em casa. Delivery traz muita comodidade. Mas, ao mesmo tempo, é um dos principais erros que prejudicam o emagrecimento. Pois, a comida do restaurante geralmente é projetada para fazer uma coisa: ser saborosa. Isso faz com que você coma muito mais calorias do que realmente precisa.

Mesmo quando pede itens “saudáveis”, ainda pode estar consumindo mais calorias e gramas de gordura do que se tivesse preparado o item em casa. Imagine a última salada que você pediu. Não veio com molho branco, croutons, queijo ralado e um pedaço de pão ao lado? 

O principal motivo pelo qual as pessoas pedem comida é por conveniência. Então, com um pouco de organização, você descobrirá que preparar suas próprias refeições leva menos tempo do que parece. No fim de semana, sente-se e planeje as refeições da semana. Em seguida, vá ao supermercado e compre tudo o que você precisa para essas refeições. Seus esforços serão recompensados ​​tanto em termos de perda de peso quanto em dinheiro economizado.

Fazer exercícios no piloto automático

Como anda seu treino: variado ou sempre igual? Embora a  rotina seja confortável, seus resultados pararam há muito tempo pelo chamado efeito platô. Ele ocorre quando o corpo se adapta à sua rotina e a perda de peso para. Mais um dos  erros que prejudicam o emagrecimento.

Mas, você não precisa aumentar a quantidade de tempo que gasta se exercitando para ver resultados cada vez mais rápidos. Pois, é tudo uma questão de desafiar seu corpo.

Existem duas maneiras simples de aumentar a eficácia dos exercícios. Primeiro, aumente o ritmo. Em segundo lugar, aumente a intensidade. Varie constantemente a velocidade e intensidade para manter os músculos em ação.

Outra maneira de romper o platô é tentar algo diferente. Se você usa aparelhos de musculação regularmente, comece a usar pesos livres. Já quem normalmente corre na esteira pode usar a bicicleta.

Leia também: 6 pensamentos que atrapalham o emagrecimento

Dieta simples e barata para emagrecer

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.