O que é endorfina e como ela age no seu corpo

O que é endorfina? Sabe aquela sensação de bem-estar e de plena felicidade depois de se exercitar ou fazer uma atividade prazerosa? A principal autora de momentos assim é a endorfina, um hormônio neurotransmissor produzido pela glândula hipófise.

Ela, em conjunto com outros neurotransmissores – serotonina, oxitocina e dopamina – é responsável por reações químicas que conferem alegria e satisfação, durante e depois de um exercício físico.

Movimento que gera combustível

Além da função principal de calibrar seu humor, a endorfina tem outros papéis. A composição de seu nome é a flexão de endo (interno) com a palavra morfina. 

Isso quer dizer que a endorfina, na acepção da palavra, é um analgésico natural do corpo. Então ela permite que você se mantenha motivado e determinado em um treino, mesmo que seus limites sejam desafiados. 

Sendo assim, o pico de produção da endorfina é durante esse momento de exercitar-se, quando ocorre uma mobilização de hormônios e outras substâncias para manter o corpo íntegro durante a atividade. 

Além dela, são produzidos o GH, hormônio do crescimento, e o ACTH, que incentiva a produção de adrenalina e cortisol. Ainda não existe um consenso científico a respeito da duração de sua ação no organismo – há estudos que apontam 2h pós-treino, enquanto outros alegam descobertas de até 72h em atividades exaustivas, as que são consideradas “endurance”, como ciclismo e corridas de longas distâncias. 

Leia também: Dicas simples para manter o cérebro saudável e feliz

Como estimular a produção de endorfina

Já dissemos que a principal fonte estimulante de endorfina é a prática regular de exercício físico. Caminhadas e visitas frequentes à academia são de grande valia, mas a principal recomendação é escolher uma modalidade que lhe agrade. 

Se você não gosta de musculação, por exemplo, que tal experimentar outras aulas, como ioga, dança ou lutas? O importante é manter-se ativo para garantir não apenas a produção de endorfina, mas mais saúde, disposição e força para outras atividades. 

Existem outras formas de se obter endorfina e outros hormônios do bem-estar. Veja quais.

  • Comer chocolate ou outro doce preferido: não é à toa que muita gente recorre ao chocolate ou a outro docinho para aliviar uma tensão do dia, não é mesmo? A razão é que o açúcar é um gatilho para a liberação de vários neurotransmissores, como a endorfina. Por isso, escolha sua guloseima favorita em situações que precisa dar um upgrade no humor. Mas não exagere na dose e opte por versões mais saudáveis do seu doce favorito: por exemplo, ao invés de chocolate ao leite, experimente trocar pelo chocolate composto por 70% de cacau.
  • Fazer atividades que dão prazer: não se trata apenas de exercício físico. Dedicar-se a um hobby ou a outra tarefa que lhe dê alegria também é uma estratégia para reações químicas do bem em seu corpo. 
  • Estreitar seu círculo de relacionamentos: passe mais tempo com as pessoas que você gosta. A interação humana é poderosa para gerar hormônios do bem-estar. O mesmo ocorre quando você acaricia um animal: então, não meça esforços para fazer muito carinho nos bichanos!
  • Pensar positivo: embora não exista comprovação científica, acredita-se as sinapses que ocorrem ao pensarmos coisas boas e positivas favorecem a produção de substâncias benéficas. Vamos combinar que elevar os padrões de pensamento é muito melhor para encarar a vida, não é?

Leia também: Maneiras de aumentar naturalmente a serotonina no corpo

Benefícios da endorfina

Um resumo do que esse analgésico natural pode fazer por você.

  • Prolonga momentos de felicidade e alegria.
  • Fortalece a mente, favorecendo o pensamento positivo.
  • Dá mais disposição para enfrentar as tarefas do dia a dia. 
  • Auxilia o tratamento da depressão – por isso que especialistas recomendam atividade física e hobbies que desopilam a mente. 

Fonte: Milena Lopes, nutricionista da Clínica NutriCilla. Pós-graduada em nutrição clínica pelo GANEP.


Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.