Endometriose: Como a condição afeta a saúde mental da mulher

O Março Amarelo é o mês de conscientização sobre a endometriose. Uma doença crônica que pode atrapalhar a qualidade de vida das mulheres. 

De acordo com um estudo feito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a endometriose afeta 6,5 milhões de mulheres no Brasil e 176 milhões ao redor do mundo. 

Além dos sintomas físicos, as mulheres também podem ter a saúde mental afetada por conta da endometriose. Isso porque quem sofre dessa doença acaba se isolando socialmente por conta das dores fortes. Inclusive, em alguns casos, existem dificuldades para ter filhos e até mesmo o risco de se tornar infértil.

Segundo especialistas, o fato de a endometriose causar limitações nas atividades diárias pode trazer sérios problemas para a saúde mental. Como por exemplo a possibilidade de desenvolver depressão ou ansiedade

Portanto, é necessário ter o diagnóstico e realizar o tratamento o quanto antes. Pois o atraso aumenta ainda mais o risco de transtornos mentais. Além disso, o apoio de amigos e familiares, a prática de exercícios físicos e técnicas de relaxamento como yoga e a meditação são fundamentais.

Sintomas de endometriose

Os sintomas da doença podem variar de pessoa para pessoa. Mas, os principais são:

  • Dor intensa parecida com cólicas menstruais;
  • Dor ao urinar;
  • Incômodo durante as relações sexuais, que pode ocorrer durante ou após;
  • Dor pélvica frequentemente;
  • Inchaço na barriga;
  • Cansaço excessivo.

Existem também os sintomas emocionais. Dessa maneira, veja alguns: 

  • Medo: Pode estar relacionado ao tratamento ou às consequências que a doença pode ocasionar;
  • Raiva ou estresse: Esse sentimento costuma surgir após o diagnóstico da condição;
  • Solidão: Quando a mulher não possui apoio de amigos e familiares;
  • Ansiedade: Por fim, um dos sintomas mais comuns quando a paciente não sabe se o tratamento realmente irá funcionar.

Tratamento para endometriose

A endometriose não tem cura. Mas, pode controlada e silenciada. No geral, a estratégia de cuidados depende do local da endometriose, do grau e dos sintomas que ela causa. O tratamento é médico, cirúrgico e, em alguns casos, psicológico.

Dessa maneira, o tratamento pode ser medicamentoso para controlar os sintomas, assim como fisioterapia do assoalho pélvico e acupuntura. Ou, em casos mais graves, uma cirurgia remove o tecido endometrial que está fora do útero. Entretanto, há, inclusive, pacientes que precisam remover o útero e os ovários.

Além disso, alimentação equilibrada e prática de atividades físicas combatem os focos da doença. 

Leia também: Endometriose: Os exercícios físicos podem reduzir as dores

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo