Dor muscular de início tardio: Saiba como tratar

Após um treino intenso na academia, é comum sentir dores musculares no dia seguinte. Mas essa reação tem nome: dor muscular de início tardio. Geralmente, essa sensação ocorre entre 24 e 48 horas depois do exercício físico, quando o indivíduo pratica algum movimento que não está acostumado, de alta intensidade ou longa duração.

Contudo, qualquer um pode sentir a dor muscular tardia, é uma situação comum que pode surgir em atletas ou até mesmo em pessoas sedentárias. 

A dor muscular de início tardio (DMIT) é resultante de um processo inflamatório e não pelo acúmulo de lactato, ao contrário da dor muscular imediata durante o exercício físico – sensação de queimação dos músculos.

Leia também: Estiramento muscular: O que é, sintomas e como tratar

Isso porque, durante a prática de exercícios, o corpo produz lactato sanguíneo, também conhecido como ácido lático. Assim, contribui para o aumento de acidez no músculo e se relaciona com dor muscular que surge logo após o exercício e não como a dor tardia, que surge de um a dois dias após o treino.

Dessa maneira, a principal causa dor muscular de início tardio é o desgaste metabólico (como na corrida) ou mecânico (como na musculação). Principalmente pela fase excêntrica do movimento, que acontece quando o músculo se alonga durante a contração. 

Por exemplo, no fortalecimento de bíceps, a mão vai em direção ao cotovelo e a contração excêntrica surge quando o cotovelo é alongado.

Tratamento dor muscular de início tardio

Para aliviar as dores musculares, você pode optar pelas seguintes alternativas:

  • Alongamento: Apesar de não ser comprovado cientificamente, o alongamento pode reduzir as dores tardias, se o praticante se sentir confortável.
  • Anti-inflamatórios: Os anti-inflamatórios são essenciais para acelerar a recuperação e melhorar os sintomas. Desse modo, o medicamento deve ser prescrito por um médico especialista.
  • Crioterapia: A técnica utiliza temperaturas frias para tratar processos inflamatórios, aliviando a dor muscular.
  • Massagem: Quem não gosta de massagem, não é mesmo? Uma ótima alternativa para reduzir as dores, pois aumenta a circulação sanguínea reduzindo inchaço e dor.
  • Alimentação: A ingestão de carboidratos, proteínas e antioxidantes antes, durante ou após exercícios ajudam a diminuir os riscos de lesões musculares.
  • Exercícios: A prática de exercícios de baixa intensidade aumenta a circulação sanguínea elevando a taxa de remoção de resíduos metabólicos. Como caminhada, ciclismo, dança, entre outros. Portanto, converse com o seu médico para que ele lhe indique o melhor tratamento.

Leia mais em: Crioterapia: Conheça o tratamento com gelo que reduz as dores

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo