Disfunção temporomandibular x estresse: Saiba mais

A disfunção temporomandibular (DTM) – também conhecida como Síndrome de Costen caracteriza-se por dores e alterações na função da articulação. Assim, a articulação temporomandibular conecta a mandíbula ao crânio na região temporal localizado à frente das orelhas em cada lado da cabeça. Por ser flexível, essa articulação tem como função principal permitir a abertura e fechamento da boca. Ou seja, é utilizada quando estamos conversando, comendo, bocejando ou rindo.

Dito isso, os sintomas das disfunções temporomandibulares costumam aparecer pela manhã. Desse modo, aos poucos as pessoas percebem que é mais intensa ao falar ou ao tentar comer. A partir disso, surgem outros incômodos como dor de cabeça, tensão no pescoço e zumbido nos ouvidos. Por isso, é importante descobrir a condição o quanto antes. 

Embora não seja tão conhecida, a Síndrome de Costen vem acometendo mais pessoas a cada dia. Mulheres com idade entre 20 e 44 anos serem as mais afetadas, porém, a síndrome pode ocorrer em qualquer idade. 

Leia também: Cera de ouvido pode revelar nível de estresse de uma pessoa

comer bem e cuidar da mente

Disfunção temporomandibular x estresse

O estresse também é uma das maiores causas do transtorno. De acordo com um estudo realizado na Universidade de Minas Gerais, em mais de 70% dos casos, o gatilho é se estressar. Seja por preocupações demasiadas, emoções descontroladas, pressão e problemas cotidianos. Da mesma maneira, pessoas estressadas e ansiosas podem ter hábitos como roer unhas, mastigar canetas, entre outros comportamentos nesse sentido, que também contribuem para a DTM.

Assim, caso o dentistas perceba que o paciente se apresenta ansioso, também poderá ser solicitada uma avaliação e o apoio de outros profissionais, como psicólogos e psiquiatras.

Além disso, outros fatores resultantes comuns são:

  • Traumas na articulação temporomandibular;
  • Bruxismo (ranger os dentes);
  • Artrite reumatoide;
  • Problemas estruturais presentes no nascimento;
  • Infecção articular;
  • Neoplasias;
  • Doenças degenerativas das articulações.

Sintomas

Identificar a disfunção temporomandibular pode não ser uma tarefa tão fácil, portanto, fique atento aos seguintes sintomas:

  • Sentir dor ao movimentar a mandíbula, geralmente na área ao redor dos ouvidos;
  • Estalo da articulação ao abrir e fechar a boca;
  • Capacidade limitada para abrir a boca;
  • Sensação de cansaço no rosto;
  • Dor de cabeça e pescoço;
  • Dor de ouvido;
  • Zumbidos;
  • Diminuição da acuidade auditiva.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo