Quer diminuir o colesterol? Coma abacate

Não é de hoje que o abacate tornou-se queridinho e ganhou fama de “superalimento”. Agora, um recente estudo prova que comer a fruta todos os dias pode ajudar a diminuir os níveis de colesterol LDL (ruim).

A comprovação foi feita por meio de um estudo publicado no periódico Journal of Nutrition, comandado pela Universidade de Oxford, no Reino Unido.

A pesquisa concentrou-se em partículas de LDL que são oxidadas no corpo. Os especialistas afirmam que esse processo de oxidação é ruim para o organismo, assim como a exposição ao oxigênio pode tornar frutas como maçãs marrons.

No corpo humano, esse processo de oxidação das partículas está relacionado com a aterosclerose – a formação de placas de gordura nas artérias. 

O estudo com abacate e os resultados

O abacate é uma fonte de boas gorduras (22 g por unidade), assim como a linhaça e a chia, por exemplo. Porém, o estudo provou que, apesar de esses alimentos conterem quantidades parecidas de gordura, o abacate ainda se destaca e é o mais eficaz na redução do LDL. 

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores estudaram um grupo de 45 adultos acima do peso, randomizados em três planos alimentares diferentes: dieta (emagreça com o Tecnonutri) com baixo teor de gordura, dieta moderada em gordura e dieta moderada com um abacate por dia. 

A dieta de gordura moderada sem abacates incluía gorduras saudáveis ​​suficientes para combinar com a quantidade de ácidos graxos monoinsaturados encontrados na fruta.

Apesar de terem exatamente o mesmo teor de gordura, os participantes que ingeriram um abacate por dia apresentaram níveis significativamente mais baixos de LDL oxidado após cinco semanas. Aparentemente, não é o teor de gordura que pode efetivamente reduzir o LDL: são os próprios abacates.

Leia mais: Colesterol: O que é e como a dieta pode ajudar

Felizmente, adicionar o abacate na sua rotina diária de alimentação é fácil, delicioso e não faltam receitas para testar.

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo