Dietas veganas aumentam o risco de deficiência de iodo

Dietas veganas aumentam o risco de deficiência de iodo, um mineral necessário para a síntese dos hormônios tireoidianos que regulam as funções do organismo, além de ser essencial para o desenvolvimento do corpo durante a infância e atuar no sistema nervoso e cardiovascular.

Em geral, os alimentos ricos em iodo são de origem animal – totalmente excluídos das dietas veganas. Por outro lado, o teor de iodo presente em frutas e vegetais é muito baixo.

Dietas veganas x deficiência de iodo

As dietas veganas variam entre aquelas mais restritivas, como é o caso do frugivorismo, e as que são menos, como é o caso do ovolactovegetarianismo, em que não há consumo de carnes, mas é permitido o consumo de ovo, leite e derivados. No entanto, o que todas essas dietas têm em comum é a exclusão – parcial ou integral – dos alimentos de origem animal.

Além da abundância em proteína, alimentos de origem animal também são algumas das melhores fontes de iodo. Por isso, acredita-se que 1 em cada 3 veganos tenha deficiência de iodo.

Porém, as dietas veganas também promovem benefícios à saúde, como a melhora do funcionamento intestinal, o controle da pressão arterial, o menor risco de diabetes e mais.

Leia também: Dieta vegana não prejudica resistência física, diz estudo

Riscos da deficiência de iodo

A deficiência de iodo pode implicar em alguns riscos para a saúde. Segundo um estudo feito pelo Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), a falta desse mineral pode resultar principalmente em problemas relacionados à tireoide. Em resumo, a glândula tireoide, devido à carência de iodo, se adapta aumentando a captação de halogênio, aumentando a sua massa glandular (bócio), induzindo secreção preferencial de T3 e elevando a síntese e liberação de TSH.

Ainda, os distúrbios por deficiência de iodo (DDI), segundo dados do Ministério da Sáude, podem causar também:

  • Cretinismo em crianças (retardo mental grave e irreversível)
  • Surdo-mudez
  • Anomalias congênitas
  • Bócio (crescimento da glândula tireóide)
  • Aumento da mortalidade infantil e materna
  • Problemas no período gestacional

Alimentos de origem vegetal ricos em iodo

Existem, sim, alimentos de origem animal que são boas fontes de iodo, como é o caso da fava, da ameixa seca, da banana e das algas marinhas wakame, nori e kombu. Não só, o sal iodado é o alimento selecionado pelo Ministério da Saúde para suplementar iodo à população.

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo