fbpx

Dieta sarda: O que é, benefícios e como fazer

Alimentar-se bem pode ser uma das respostas da longevidade, e a dieta sarda tem sido apontada como uma das mais benéficas da atualidade. 

A dieta sarda é o estilo alimentar típico da região da Sardenha (Itália). Por sua localização, é considerada uma dieta mediterrânea. 

A Sardenha faz parte do que a ciência chama de Zona Azul. Tal denominação se refere a lugares do mundo que sua população vive mais (expectativa de vida) que o resto do globo. 

Assim, pessoas da Sardenha não só vivem mais tempo – cerca de dez anos acima da média – mas também vivem melhor a sua velhice. 

O que é a dieta sarda

Segundo a ciência, a fórmula para a longevidade inclui 10% de genes e 90% de estilo de vida. Portanto, os pesquisadores estavam interessados ​​em entender os principais hábitos dessas comunidades centenárias. 

Tudo começou cerca de 20 anos atrás, quando Gianni Pes, um cientista da Sardenha. Ele decidiu provar que sua pátria tinha um número incomumente grande de pessoas muito idosas. Toda vez que encontrava uma cidade que atendesse aos seus critérios, marcava-a em um mapa com uma ponta de feltro azul. Foi assim que ele percebeu que a maioria desses pontos azuis estava localizada na parte central da ilha, em Ogliastra e Barbagia. Essa foi a primeira Zona Azul já identificada. Após a Sardenha, outras zonas azuis foram descobertas. Elas são Ikaria (Grécia), Loma Linda (Califórnia), Okinawa (Japão) e Nicoya (Costa Rica).

Estudando a Sardenha, os especialistas descobriram as características da dieta da longevidade. Vivendo em uma terra isolada com um solo bastante infértil, os sardos têm vivido principalmente como pastores nos últimos séculos. Isso significa que a dieta sarda é baseada principalmente em queijo de ovelha alimentada com capim e leite de cabra. O primeiro é muito rico em ácidos graxos ômega-3, com o último tendo propriedades anti-inflamatórias e ajudando a reduzir o risco de doenças como Alzheimer. Além disso, eles também comem muitas frutas e vegetais caseiros, como berinjela, abobrinha, tomate e fava, ricos em vitaminas e sais minerais. Também, seu pão é livre de fermento e feito de trigo duro, fácil de levar para o pasto. Eles raramente dizem não a um bom copo de Cannonau, um vinho tinto que contém três vezes mais polifenóis do que outros vinhos.

Dieta mediterrânea

A dieta mediterrânea foi inspirada nos hábitos alimentares da parte sul da Itália, Grécia e Espanha nos anos cinquenta – e é conhecida mundialmente como uma dieta saudável e equilibrada. 

Os principais componentes da dieta mediterrânea são o azeite, frutas, legumes, legumes e cereais não refinados. O peixe também tem uma grande parte, enquanto a carne e os laticínios raramente são consumidos.

Aparentemente, o azeite é a chave para os benefícios desta dieta. É rico em gordura insaturada e, se você o usa regularmente, pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares, neurodegeneração, câncer e outras doenças crônicas.

Leia também: Dieta mediterrânea: Saiba como fazer e os benefícios para a saúde

Comida saudável da dieta sarda

A comida italiana, que segue em grande parte a dieta mediterrânea, não se resume a massas e pizza – ou pelo menos, essa não é sua variação saudável e tradicional.

Assim, comida saudável da Sardenha é sobre grãos integrais, legumes, leguminosas, frutas, nozes, azeite e um pouco de proteínas animais.

Você pode não saber disso, mas a cozinha tradicional da Sardenha é realmente feita de pratos “simples”. Nos tempos antigos, a carne era consumida apenas durante os dias de festa. Portanto, nenhum molho à bolonhesa, mas massas com feijão ou grão de bico e arroz com lentilhas eram muito mais comuns no passado – e são exemplos de alimentos saudáveis ​​e equilibrados.

Além disso, o trigo não é o único cereal disponível: espelta, cevada, aveia, milho e centeio sempre foram cultivados no local. Sendo assim, a verdadeira dieta mediterrânea envolve todos eles: uma de suas regras básicas é comer um pouco de tudo, na quantidade certa.

Com isso, o resultado dessa dieta é uma redução geral de condições médicas, como doenças cardíacas e câncer de cólon.

Desafio 7kgs em 6 semanas!

Elimine até 7kgs em apenas 6 semanas!

 
 

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.