Dieta da proteína: cardápio e como fazer para emagrecer

Famosa por eliminar os insistentes quilinhos extras, ativar o metabolismo e contribuir para a manutenção de massa magra, a dieta da proteína nada mais é do que um plano alimentar que incentiva uma diminuição drástica na ingestão de carboidratos para focar na proteína e emagrecer (emagreça com o Tecnonutri) . 

Proposta

O princípio dieta se apoia na premissa de que, ao excluir o consumo de carboidrato, o corpo é forçado a utilizar as reservas de gordura como fonte de energia e, assim, ocorre à perda de peso e o efeito “seca barriga”.

Além disso, o carboidrato estimula a produção de insulina, hormônio que, entre outras funções, provoca a fome.

Diminuindo o nutriente, consequentemente, vai haver uma diminuição do hormônio, fazendo com que a pessoa sinta menos fome. Estas são explicações para o rápido emagrecimento proporcionado a quem segue a dieta.

Como fazer

Como você se sente sem batata, arroz, macarrão ou pão? Se a resposta for que a grande presença de carnes no cardápio te dará maior sensação de saciedade e que a restrição desses alimentos ricos em carboidratos não fará grande falta, siga em frente.

Inicialmente, será necessário se adaptar a uma menor variedade de alimentos, principalmente, na primeira fase da dieta. Passada a primeira fase, novos alimentos poderão ser adicionados, dando preferências aos alimentos integrais como, por exemplo, pão integral, arroz integral, massa integral.

O plano alimentar não exclui a ingestão de legumes e frutas. Entretanto, dependendo da fase em que se encontra, alguns poderão ser restringidos ou não poderão fazer parte do cardápio. A ingestão de bebidas alcoólicas é proibida, inclusive o vinho.

A composição tradicional das dietas são 55% a 60% de carboidratos, inferior a 30% de gorduras e 15% de proteínas. A sugestão para elaboração de dieta com maior teor proteico seria reduzir a quantidade de carboidratos da dieta para 40 a 50% e aumentar a proporção de proteínas de 22 a 45% do valor energético total.

Refeição da Dieta Paleo

Ação através do metabolismo

  • As proteínas são nutrientes de digestão lenta, o que pode contribuir para prolongar a sensação de saciedade.
  • Não há limitação de quantidade de alimentos a serem consumidos, somente os tipos de alimentos são restritos.
  • Redução de peso em curto prazo, mas não necessariamente de gordura, ocorre perda de massa também.
  • Com o consumo drasticamente limitado de carboidratos, ingestão abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que são de 55 a 75% das calorias totais do dia, o organismo tende a converter gordura em energia acarretando na liberação de corpos cetônicos, componentes que em altos níveis podem ser prejudiciais às células, além de causar mau hálito.
  • Os adeptos da dieta também ficam expostos a quadros de tonturas, fraqueza e desmaios, e frequentemente são acometidos por constipação intestinal devido ao baixo consumo de fibras.
  • Em virtude do grande consumo de alimentos protéicos, a quantidade de gorduras saturada e colesterol é elevada ao ponto de contribuir para aumentar os níveis de colesterol ruim (LDL – colesterol) e favorecer a ocorrência de problemas cardiovasculares.
  • O excessivo consumo de proteínas pode também ocasionar sobrecarga renal e, se mantida a longo prazo, há o risco do desenvolvimento de insuficiência renal.

Fases da Dieta da Proteína

A Dieta da Proteína recomenda que seja realizada em um processo de quatro fases:

Indução

Durante duas semanas estão liberados carnes, queijos e outros produtos ricos em gordura enquanto apenas os vegetais com baixo teor de carboidratos são permitidos, como brócolis, tomate e alface, mesmo assim limitados a três porções pequenas por dia.

Perda de Peso Contínua

O objetivo dessa fase é descobrir o quanto de carboidratos pode-se comer e ainda perder peso, por isso a quantidade de legumes pode ser aumentada. Essa etapa dura até que se esteja de três a cinco quilos de seu peso ideal.

Pré-manutenção

Nesta fase se descobre o quanto de carboidrato pode comer sem ganhar peso. Dez gramas de carboidratos podem ser adicionados por dia. Esta fase dura de dois a três meses.

Manutenção

O objetivo é manter os hábitos alimentares adquiridos nas fases anteriores, com cerca de 100 gramas de carboidratos por dia.

Alimentos permitidos na dieta da proteína

Os alimentos que podem ser consumidos na dieta da proteína incluem aqueles ricos em proteínas, além de verduras, legumes e outros:

  • Peixes: atum, bacalhau e sashimi
  • Frutos do mar: camarão, lagosta, siri ou caranguejo e mexilhões
  • Carnes: todos os cortes de frango, aves, porco e boi
  • Derivados do leite: queijos, iogurtes, coalhada
  • Verduras: salsa, repolho, chicória, cebola, alface, agrião, espinafre, couve-flor, couve, brócolis, acelga, aspargos e salada verde
  • Legumes: vagem, chuchu, tomate, cenoura, sopa de legumes, pimentão, abobrinha verde, rabanete, quiabo, pepino, nabo, berinjela e cogumelo
  • Outros: sal, ovos, omelete, gelatina dietética, pimenta, azeitona com tempero, azeite, manteiga, margarina, limão e jiló
  • Bebidas: chá, café descafeinado, água com gás, água tônica diet e água natural.

Leia também: Alimentos ricos em proteína e seus benefícios

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.