Como sair do “modo sobrevivência” nos dias de hoje

Estamos vivendo em isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Para muitos, esse tipo de acontecimento aumenta a ansiedade e o medo e, assim, podemos cair no chamado “modo sobrevivência”, que é o lugar onde sua mente se fecha e se concentra apenas em sobreviver.

Para superar a crise do coronavírus, é necessário tomar os devidos cuidados. Assim, o modo sobrevivência nos primeiros dias de isolamento social é fundamental. Isso porque as pessoas não tinham ideia do que esperar, quem estava infectado e como lidar com a doença. 

No entanto, é importante ter em mente que o modo sobrevivência é algo totalmente temporário. Pode ser algo benéfico, mas também pode nos impedir de voltar a ter nossas vidas normais. Por isso é importante estabelecer uma rotina que faça você sair dessa situação.

Dito isso, veja três dicas sobre como sair do modo de sobrevivência e entrar em uma rotina de conforto que funciona para o cenário atual.

Crie uma rotina diária para si mesmo

As rotinas proporcionam uma sensação de regularidade mesmo quando a maioria das coisas parecem anormais. Mas isso não significa que você deve precisa executar milhares de tarefas para se manter ocupado. Tente identificar qualquer momento de alegria de sua vida normal que possa se adequar aos dias de hoje.

Leia mais em: Coronavírus: O que você precisa saber para se cuidar

Pense no que você fez antes, durante e depois do trabalho para permanecer no ritmo e com uma boa mentalidade. Assim, refaça sua rotina para complementar seu novo estilo de vida.

Converse com pessoas positivas

Converse com quem o apoia e o faz feliz. Além disso, comprometa-se em não ter apenas conversas que giram em torno do COVID-19. Faça chamada de vídeos com seus entes queridos e fale sobre coisas boas que aconteceram no seu dia, seja grato. 

Reveja seus sentimentos

Dedique um momento todos os dias para cuidar da sua saúde mental e física. Faça as coisas no seu tempo, faça yoga ou meditação para ter um momento só para si. 

Contudo, se você estiver esgotado, peça ajuda a seus entes queridos ou a um profissional.

Leia também: Como treinar o cérebro para responder a crises

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo