Como evitar o ressentimento em tempos de isolamento

Em qualquer relacionamento – amoroso, familiar, profissional ou financeiro – é inevitável sentir ressentimento em algum momento. É um sentimento eventual de descontentamento ou irritação persistente em relação a alguém. O que aumenta ainda mais nos dias de hoje, em tempos de isolamento.

O ressentimento geralmente acontece como resultado de uma grande decepção que não foi esquecida e, enquanto não houver perdão, a mágoa prevalece. No entanto, a boa notícia é que apenas com um método de conversas você pode se livrar desse sentimento.

Portanto, o primeiro passo é concordar em ouvir com compaixão e curiosidade, e depois falar com coragem e vulnerabilidade.

Para facilitar, a conversa pode ser dividida em 4 partes. Faça um de cada vez, com cada pessoa se revezando como orador e ouvinte antes de passar para o próximo:

Cada um compartilha suas intenções

Compartilhe suas intenções para a pessoa em questão. Trazer as diferenças é fundamental para evitar ou entender as divergências nos detalhes posteriormente. Perceber que ninguém é igual e existem diferenças ajuda a evitar problemas e ressentimentos futuros.

Leia também: Vida social: Como mantê-la em tempos de isolamento

Em tempos de isolamento a convivência pode ser difícil. Mas, ao compartilhar nossas intenções, destacamos o que é realmente importante para nós.

Compartilhe suas preocupações

Nesta fase da conversa você irá abordar todas as suas preocupações e medos. Para muitos, esse pode ser o momento mais fácil, já que nosso cérebro geralmente procura problemas e se concentra no que poderia dar errado. Dessa forma, dividir as preocupações pode ajudá-lo a perceber porque está sofrendo e, assim, liberar a tensão.

Leia também: Dicas de autocuidado para quem está em isolamento

Fale até suas maiores ou aparentemente mais bobas preocupações. Foi descoberto que ao expressar os maiores medos, eles perdem poder e diminuem por conta própria. 

Compartilhe seus desejos limitados

Os limites podem ser enquadrados como necessidades de autocuidado. Dito isso, eles são uma “linha” que não pode ser cruzada.

Por isso, é considerado um ato de bondade compartilhar seus limites com os outros, pois guardar isso para si pode criar estresse, destruir a confiança ou até mesmo prejudicar os relacionamentos. 

Isto é, seus limites durante o isolamento podem incluir: “não quero ser incomodado quando estou usando fones de ouvido” ou “quero me exercitar sozinho no quintal todas as manhãs”.

Por fim, compartilhe seus sonhos

Compartilhar os sonhos traz mais leveza e calma. No momento, você pode estar sonhando que todos sairemos dessa saudáveis e felizes. O importante é conversar sobre qualquer sonho e objetivo. 

Esse método pode ser útil para lidar com uma variedade de estressores nos relacionamentos – desde visitas a familiares desafiadores, criação de um filho, cirurgia, doenças e morte de entes queridos. Use-o sempre que precisar esclarecer suas necessidades, objetivos pessoais e acabar com o ressentimento.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo