Dicas de como congelar os alimentos

Praticidade. Essa é a palavra-chave quando o assunto é congelar os alimentos. Além de facilitar o dia a dia, principalmente em tempos de quarentena, essa também é uma ótima maneira de evitar desperdícios. Afinal, você pode consumir mais tarde aquelas porções que sobram depois de uma refeição. 

Outra vantagem do procedimento é sua contribuição para uma alimentação mais saudável. “Essa influência ocorre porque há um melhor planejamento na construção da rotina alimentar. E, apesar de haver perda significativa nas quantidades de vitaminas e minerais, muitos desses nutrientes continuam presentes nos alimentos”, afirma a nutricionista Aline Santos, de Goiânia (GO). 

Por meio do congelamento, é possível tanto preparar refeições com mais agilidade quanto garantir que sempre haverá comida de verdade à disposição quando a fome bater. 

Ou seja, você não vai precisar pedir um delivery ou correr para a dispensa atrás de um pacotinho cheio de gorduras, sódio e outros nutrientes que detonam a dieta.

Mas, para usufruir dos benefícios de congelar os alimentos, é preciso tomar alguns cuidados para que o processo de congelamento seja feito da maneira correta. Só assim você garante maior presença de nutrientes nos alimentos e mantém o máximo de textura e sabor. 

O jeito certo de congelar os alimentos

Você sabia que existem alimentos que devem passar por um processo chamado branqueamento antes de serem congelados?

É o caso da maioria dos vegetais. Para isso, depois de higienizar bem os alimentos, coloque-os em um recipiente com água fervente por cerca de 2 minutos. Em seguida, passe-os para uma vasilha com água gelada por mais 2 minutos para interromper o cozimento. Depois disso, eles estão prontos para irem ao congelador.

Vale ressaltar que alguns vegetais, como tomates e pepinos, possuem muita água em sua composição, por isso, a técnica de congelamento não é indicada, já que pode modificar a consistência do alimento. 

No caso de outras preparações, como arroz, feijão e carnes já prontos, o indicado é esperar que a comida esfrie primeiro. Então, transfira o alimento para a embalagem, feche bem e leve ao congelador ou ao freezer. 

Aliás, é importante lembrar que os dois acessórios não são a mesma coisa. Na parte interna da geladeira, onde há um leve acúmulo de gelo, a temperatura não é tão baixa, por isso, evite deixar os potes ali por muito tempo. No freezer, para potencializar o congelamento, é importante que temperatura seja de, no mínimo, -18ºC. 

Leia também: Bicarbonato de sódio tira agrotóxicos dos alimentos?

Já os prazos de validade são divididos assim:

  • 2 a 6 meses: embutidos, peixes, tortas e salgados prontos
  • 6 a 12 meses: frutas, verduras e carnes bovinas

Outras dicas importantes

  • Ao escolher os potes para congelamento, se possível, opte por recipientes de vidro. Faça sempre a higienização correta e procure etiquetá-los com a data em que o alimento foi preparado.
  • Alimentos crus não podem ser congelados duas vezes. Uma vez descongelados, eles precisam ser cozidos, senão estragam. O que você pode fazer é descongelar a comida crua, cozinhá-la e então congelar o prato pronto.
  • Para congelar carnes brancas ou vermelhas, o procedimento é o mesmo: elas devem estar frescas, livres de temperos. Só podem ser temperadas na hora do preparo para não passar cheiros e sabores para o congelador. Congele os filés separadamente, em saquinhos plásticos próprios para o freezer.
  • No caso de hortaliças, antes de congelar qualquer folha ou legume cru, é importante higienizá-los corretamente e, de preferência, fatiá-los e separá-los em porções. Use o processo de branqueamento para eliminar bactérias e manter os nutrientes. Seque bem e armazene no freezer.
  • Frutas devem ser congeladas sem casca e caroço, em sacos plásticos. Bananas e peras são as únicas frutas que podem ter o sabor alterado. Outra sugestão é congelar em forma de purê: amasse as frutas e acomode-as em forminhas de gelo. Esse tipo de congelamento é ideal para preparar sucos.
  • Cozinhe o arroz com menos sal que o normal, já que depois de descongelado o prato acaba ficando mais salgado. Separe em potes plásticos e cubra com papel alumínio, para evitar que pedrinhas de gelo se formem. Tampe e leve ao congelador. Para o feijão, siga o mesmo procedimento. Se estiver temperado, consuma no prazo de uma semana. Sem tempero, você pode deixar congelado por até 1 mês.

Ao descongelar

  • Não descongele o alimento descoberto em cima da pia. Isso aumenta o risco de infecção por bactérias.
  • Cozinhe o alimento assim que descongelar. E nunca congele novamente os alimentos.
  • O ideal para descongelar é tirar o alimento do freezer no dia anterior e colocar na prateleira de baixo da geladeira. Prepare o alimento até, no máximo, um dia depois. 
  • Faça porções individuais para usar apenas a quantidade desejada, sem precisar descongelar sem necessidade.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.