Comer peixe ajuda a proteger o cérebro da poluição do ar

Um recente estudo promovido por cientistas de diversas universidades americanas, concluiu que comer peixe ajuda a proteger o cérebro da poluição do ar. Portanto, inclui-lo na dieta pode trazer grandes benefícios para a função cognitiva e, além disso, suas propriedades, especialmente o ômega-3, garante maior proteção em relação aos poluentes do ar.

Propriedades do peixe x saúde do cérebro

Em suma, a principal propriedade do peixe responsável por esse benefício à saúde cerebral é o ômega-3, um ácido graxo de ação anti-inflamatória que beneficia também a saúde cardiovascular.

Esse ácido graxo é chamado de essencial, uma vez que deve ser adquirido pela alimentação, pois não é produzido pelo corpo. Apesar de também estar presente em outros alimentos, inclusive de origem vegetal, o ômega-3 é mais abundante na carne do peixe.

Leia também: As melhores opções de gorduras boas para colocar no prato

Por fim, os cientistas envolvidos na pesquisa compreenderam que, devido à ação anti-inflamatória dos ácidos graxos, consumi-lo poderia promover um efeito protetor em relação às partículas poluidoras presentes no ar, nomeadas como neurotoxinas. Sendo assim, comer peixe ajuda a proteger o cérebro.

A fim de comprovar isso, foram feitos exames e testes sanguíneos, questionários quanto à alimentação das participantes do estudo, além de imagens do cérebro escaneadas. Todas as pessoas que participaram do estudo eram mulheres de 65 a 80 anos e nenhuma delas tinha diagnóstico de demência (condição neurodegenerativa).

Em conclusão, todos os testes apontaram para o mesmo caminho: as mulheres com maior nível de ômega-3 no sangue possuíam melhor saúde neurológica. Portanto, elas tinham também menor risco de serem diagnosticadas com doenças neurodegenerativas.

Leia também: Probióticos podem deixar o cérebro mais saudável, diz estudo

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo