Chocolate amargo: Benefícios e como incluir na dieta

Emagrecer e comer chocolate ao mesmo tempo? É possível com o chocolate amargo. Na quantidade certa e do tipo certo, o chocolate não só pode ajudar você a emagrecer como também pode fazer bem para sua saúde.

O chocolate amargo possue maiores quantidades de cacau e, por isso, mais benefícios. O ideal é não ultrapassar 30 g por dia, que é o equivalente a dois bombons ou uma barrinha pequena.

Chocolate amargo engorda?

Nenhum alimento específico vai te engordar de uma hora pra outra. O que engorda é o conjunto que envolve todos os seus hábitos alimentares. O que importa não são os alimentos isolados que você consome, mas sim a soma desses alimentos, contando com sua qualidade nutricional. Além do mais, é completamente possível emagrecer comendo um bombom por dia.

Razões para manter o chocolate amargo no dia a dia

Saciedade

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Chung Hsing, em Taiwan, mostrou que ácidos fenólicos presentes no cacau podem aumentar a produção de leptina. Leptina é o hormônio que aumenta a nossa sensação de saciedade. Lembre-se: quanto mais saciado, menores as chances de exagerar na comida.

Ajuda a emagrecer

De acordo com Sylvana Braga, especialista em dieta ortomolecular, o chocolate é rico em cafeína, que ajuda a acelerar o metabolismo. No entanto, para que isso aconteça, é preciso consumir a versão amarga, com bastante cacau.

Chocolate amargo é fonte de ferro

Os benefícios do chocolate amargo parecem infinitos. Além de promover uma pele e dentes mais saudáveis ​​e reduzir a ansiedade, ele é uma maneira doce de aumentar a ingestão de ferro. Trinta gramas de chocolate amargo contém 2 a 3 mg de ferro, mais ferro do que na mesma quantidade de carne.

Melhora o raciocínio

A cafeína presente no chocolate pode estimular a atenção, a memória e a concentração! A Universidade de Northumbria, Reino Unido, comparou dois grupos durante a aplicação de uma prova. Resultado: quem consumia 500 mg de flavonoides – substâncias encontradas em abundância no chocolate amargo – teve o maior número de acertos

Controla o colesterol

Os antioxidantes do cacau reduzem a inflamação e o acúmulo de gordura nos vasos. Assim, podendo auxiliar na diminuição do colesterol ruim.

Chocolate amargo previne o envelhecimento

O chocolate amargo ajuda a neutralizar os radicais livres do organismo. Quando muito elevados, esses radicais podem provocar danos celulares relacionados ao envelhecimento. Aliás, é por isso que o doce também é utilizado em alguns cosméticos, como antirrugas, por exemplo.

Chocolate na dieta low carb. Pode?

Sim, você pode. Mas não vá contando vitória antes do tempo. O chocolate está permitido em uma dieta low carb (conheça a Low Carb do Tecnonutri) , mas não são todos os tipos que são indicados para o consumo.

O chocolate permitido para o consumo na low carb é o chocolate amargo, mais especificamente aqueles que possuem uma concentração maior que 70% de cacau em sua composição.

Essa versão é liberada porque possui uma quantidade bem menor de açúcares, gorduras e, consequentemente, carboidratos.

Uma barra de 50 g de chocolate amargo 70% cacau contém apenas 16 g de carboidratos contra os 30 g de uma barra do mesmo tamanho de chocolate ao leite.

Comer chocolate na TPM faz bem?

Alimento mais querido nesse período, o chocolate está liberado: ele tem impacto positivo no controle da compulsão alimentar, mas para isso é necessário escolher os mais amargos ou meio amargos com mais de 50% de cacau.

Leia também: Alimentos que ajudam a aliviar os sintomas da TPM

Chocolate amargo x ao leite

O chocolate é, em geral, uma mistura de pasta de cacau em pó, manteiga de cacau e açúcar. Entretanto, a receita pode variar conforme o tipo de chocolate, a exemplo do amargo e do ao leite.

Chocolate amargo

Diferentemente do chocolate ao leite, o amargo não possui adição de leite, sendo composto apenas de grãos torrados de cacau e açúcar. A princípio, esse tipo é conhecido como “mais saudável”, pois possui maior quantidade de cacau em sua composição em comparação à versão ao leite. Devido à sua maior quantidade de cacau, o chocolate amargo, também chamado de “chocolate mais puro”, possui grande quantidade de flavonoides, ou seja, antioxidantes naturais e poderosos que trazem muitos benefícios para a saúde.

Por fim, existem diferentes versões desse chocolate: extra amargo (75% a 85% de cacau), amargo (50% a 75%) e meio amargo (35% a 50%). Ele costuma ser mais usado na confeitaria, como base de diversas sobremesas.

Leia mais: 6 motivos para incluir o chocolate amargo na dieta

Chocolate ao leite

O chocolate ao leite possui leite em sua composição. Consequentemente, contém menor quantidade de cacau e, por isso, é considerado menos saudável. Por vezes, é usado leite condensado em seu preparo. Entretanto, há empresas que optam pelo uso de leite em pó. Costuma ser mais doce do que os outros e possui cacau sólido, manteiga de cacau e mais de 12% de açúcar e leite na sua composição.

Leia também: Comer chocolate todo dia faz bem para o cérebro, diz ciência

Qual é mais saudável?

Em resumo, o chocolate amargo é mais saudável, mas o consumo do chocolate ao leite não está proibido. Pelo contrário, ambos devem ser consumidos com moderação, como qualquer outro alimento. 

Receita de chocolate quente funcional

chocolate quente

Ingredientes:

  • 1 litro de leite de amêndoas ou outro leite vegetal
  • 4 colheres (sopa) de biomassa de banana verde
  • ¼ xícara (chá) de cacau em pó
  • 1 canela em pau (opcional)
  • ¼ xícara (chá) de xylitol ou eritritol (ou depois de pronto estévia ou sucralose)

Modo de preparo:

Dissolva a biomassa e o cacau no leite vegetal de sua escolha. Adicione a canela em pau e o adoçante de sua preferência. Leve ao fogo médio mexendo sempre até que engrosse ligeiramente. Desligue o fogo e sirva em seguida.

Rendimento: 5 porções

Revisado por

Nutricionista Vanessa Losano
Vanessa Losano
Nutricionista e coach de emagrecimento
CRN3 34283

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.