Chá de saia-branca: Benefícios e possíveis efeitos colaterais

O chá de saia-branca é uma bebida que pode ajudar no tratamento de infecções urinárias, de problemas cardíacos e aliviar a TPM. A saia-branca é uma planta de flores brancas. Ela contém substâncias que agem no tratamento de cólicas gastrointestinais, no sistema nervoso, alívio de cólicas e mais.

É uma planta medicinal nativa da América do Sul e facilmente encontrada no Brasil.

Benefícios do chá de saia-branca

Alivia a tensão pré-menstrual

A tensão pré-menstrual, popularmente chamada de TPM, é o termo dado a sintomas como mudanças de humor, sonolência, aumento do apetite e outros. Todos ligados ao período anterior a menstruação. A TPM pode ser muito incômoda para as mulheres que sofrem com ela. Por isso, o chá de saia-branca pode ser de grande ajuda. Pois, promove o alívio dos sintomas desse período.

Leia também: Ciclo das sementes: O que é e como seguir

Alivia cólicas e dores

O chá também age naturalmente no combate a dores. Assim, pode promover o alívio de cólicas e dores diversas. Como dores relacionadas à saúde do intestino, cólicas menstruais e mais.

Leia mais: Melhores exercícios para evitar cólicas e desconfortos

Combate sintomas de asma

Ainda, a saia-branca é naturalmente antiasmática. Ou seja, ajuda a aliviar os sintomas e facilita o tratamento da asma. Além disso, o chá pode melhorar a respiração.

Outros possíveis usos do chá de saia-branca são:

  • Tratamento de infecções urinárias;
  • Protege a saúde cardiovascular;

Cuidados no consumo do chá de saia-branca

O chá pode ser alucinógeno. Ou seja, pode provocar alucinações. Por isso, as folhas da saia-branca devem ser adquiridas, preferencialmente, em farmácias de manipulação. Além disso, apenas sob orientação médica. Pois, além de seu possível efeito alucinógeno, a planta pode ser tóxica se consumida em excesso.

Dessa maneira, a bebida pode causar náuseas. Além disso, pode provocar vômitos, olhos secos, aumento da frequência cardíaca, vertigens e delírios ou morte, quando consumida em excesso.

Além disso, crianças menores de 12 anos, grávidas e mulheres em fase de amamentação não devem fazer uso da planta.

Leia também: Brahmi: Benefícios da planta medicinal e como usá-la

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo