Chá de chapéu-de-couro: Conheça os benefícios

O chá de chapéu-de-couro é usado na medicina popular principalmente devido à abundância de minerais e antioxidantes. A princípio, a folha da planta é conhecida por sua ação diurética, anti-inflamatória, antirreumática, adstringente, diurética, antiartrítica, anti-hipertensora e laxante.

Benefícios do chá de chapéu-de-couro

Desintoxica e desincha o corpo

Hidratante e diurético, ajuda a prevenir a retenção hídrica, ou seja, o acúmulo de líquidos no corpo, o que poderia causar a sensação incômoda de inchaço. Ainda, também devido à ação diurética, facilita a desintoxicação do organismo, naturalmente executada pelos rins e pelo fígado. Sendo assim, seu consumo também beneficia esses órgãos, bem como o estômago.

Protege a saúde do coração

Ajudando a evitar a hipertensão (pressão arterial elevada), o chá de chapéu-de-couro protege a saúde cardiovascular e reduz o risco de o coração ser acometido por graves problemas. Também controla o nível de colesterol.

Combate a constipação

A bebida age como um laxante natural, por isso, não deve ser consumido em excesso. Entretanto, o consumo moderado pode ajudar a combater ou prevenir a constipação.

Leia também: Chá de bugre (porangaba): Propriedades e benefícios

Fortalece a imunidade

A presença de antioxidantes em sua composição faz com que o consumo do chá fortaleça a imunidade e, além de ajudar a prevenir a gripe, resfriados e demais problemas de saúde.

Leia também: Chá de coentro: Benefícios e como preparar

Ajuda no tratamento de condições de pele

Graças aos componentes antioxidantes, a bebida atua no tratamento de condições de pele como o vitiligo, doença caracterizada pela perda da coloração da pele.

Como fazer o chá de chapéu-de-couro

  • 20 gramas de folhas secas de chapéu-de-couro
  • 1 litro de água fervente
  • Adição de açúcar, adoçantes, mel, canela e gengibre são opcionais

Além disso, as folhas também podem ser utilizadas aplicadas sobre a pele.

Contraindicações e cuidados

O chá de chapéu-de-couro deve ser tomado no máximo 3 vezes ao dia. Gestantes, lactantes, pessoas com pressão baixa, insuficiência cardíaca ou renal devem evitá-lo.

Leia mais: Aroeira: Os possíveis usos e benefícios da planta medicinal

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo