Castanha da Índia: O que é, para que serve e como usar

A castanha da Índia é uma oleaginosa típica do Sudeste Europeu cheia benefícios para a saúde. O alimento é uma excelente fonte de gordura boa, especialmente o ômega-3. Não só, é rica em flavonoides e taninos, antioxidantes naturais poderosos, e vitaminas – especialmente a C e a K. 

Apesar de ser uma castanha, não é um fruto comestível in natura, sendo venenosa quando não preparada adequadamente. Portanto castanha da Índia só deve ser utilizada quando seu extrato é devidamente obtido.

Geralmente, serve como remédio caseiro para diversas doenças. Ela auxilia no tratamento de fragilidade capilar e problemas de insuficiência venosa, como hemorroidas, má circulação, cansaços nas pernas e inchaços.

Leia mais: Oleaginosas: um ranking com as opções mais saudáveis

Benefícios da castanha da Índia

Fortalece a imunidade

Fonte de vitamina C e antioxidantes potentes, a castanha da Índia é responsável por ajudar no fortalecimento da imunidade. Assim, ajuda na prevenção de doenças, como a gripe e resfriados. 

Protege o coração 

Para a saúde do coração, alimentos ricos em ômega-3 e demais gorduras boas são muito benéficos. Dessa forma, ajudam na redução da pressão arterial, evitando problemas como o infarto.

Leia mais: Diferença entre gordura boa e gordura ruim

Mais, outros benefícios da castanha são:

  • Alívio das cólicas menstruais;
  • Combate a fadiga muscular;
  • Tratamento de inflamações na pele.

Como consumir castanha da Índia

As folhas da castanha podem ser transformadas em um chá igualmente benéfico para a saúde: possui propriedades terapêuticas, anti-inflamatórias e mais.

Não só, as castanhas podem ser servidas como uma opção de lanche saudável. Também podem ser adicionadas na salada ou mesmo na massa de pães e bolos. Além disso, atualmente também é possível encontrar à venda cápsulas com as propriedades da castanha.

Porém, o consumo excessivo pode provocar coceira, fraqueza, diminuição da coordenação, dilatação da pupila, vômito, depressão do sistema nervoso central e paralisia.

Por fim, ela não deve ser usada durante a gravidez, amamentação, por crianças e durante o uso de remédios anticoagulantes.

Leia também: Castanha de baru: O que é e benefícios

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo