Café: Tudo o que você precisa saber sobre o grão

Tem gente que gosta tanto de café que não consegue começar o dia sem tomar uma xícara. Ou então, que espera ansiosamente pelas pausas no trabalho para beber mais um pouquinho desse estimulante líquido. 

Se você faz parte do time de adoradores do café, que tal conhecer um pouco mais sobre ele?

Benefícios do café 

Para começar, essa bebida quentinha e amarga contém uma porção de nutrientes. A mais conhecida, claro, é a cafeína, que ativa a adrenalina e, por isso, nos deixa mais alerta, melhora a concentração e dá mais energia.

Além disso, concentra diferentes ácidos orgânicos, que têm funções antioxidantes – importantes na proteção contra inúmeras doenças, inclusive cardiovasculares. 

“O café é rico em fósforo, manganês, magnésio, potássio e vitaminas do complexo B, que atuam no sistema nervoso dando a ele mais equilíbrio”, afirma a nutricionista Caroline Possato, do Instituto Mineiro de Endocrinologia.

Leia também: Diferentes tipos de leite e seus benefícios para a saúde

Outra vantagem do grão é o seu poder termogênico. Ou seja, ele consegue acelerar o metabolismo, aumentando o gasto calórico. Isso ajuda na queima de gordura corporal e no processo de emagrecimento.

Já os polifenóis presentes no café, ao lado de outros compostos bioativos, podem regular o humor e auxiliam no controle da glicemia na corrente sanguínea. 

Riscos do consumo excessivo

Ainda que seja cheio de pontos positivos, é preciso cuidado na hora de tomar seu cafezinho todos os dias. 

Isso porque o excesso da bebida pode trazer diversos riscos à saúde. “Tomar muito café pode aumentar a diurese, ou seja, a pessoa precisa urinar mais vezes ao dia. Com isso, ela acaba eliminando do organismo vitaminas e minerais importantes, principalmente o cálcio, o que prejudica a saúde dos ossos”, explica Caroline.

A produção de cortisol é mais um dos perigos do café. “Esse é o hormônio do estresse. Em níveis elevados, interfere na qualidade do sono e no processo de emagrecimento.”

Exagerar na quantidade do líquido também afeta o trabalho dos rins e colabora para o desenvolvimento de gastrite. E como ele pode atrapalhar na absorção de vitaminas e minerais, se você tem o hábito de pedir um café depois do almoço, espere 15 minutos antes de tomá-lo. 

Dicas de consumo

  • A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a ingestão de, no máximo, quatro xícaras de 50 ml de café ao dia.
  • Pessoas com alterações gástricas como gastrite e úlcera devem ter cuidado com o consumo. “Quem apresenta níveis elevados de colesterol também deve ficar atento. O café possui uma substância que se chama terpenóide que pode aumentar ainda mais o colesterol”, alerta Caroline.
  • Crianças e gestantes também devem evitar o consumo, enquanto aqueles que sofrem de ansiedade, glaucoma e osteoporose precisam checar com um profissional da saúde se podem ou não tomar a bebida.
  • Evite tomar café após as 16h para não prejudicar a qualidade do sono. “Se você não consegue ficar sem a bebida, é interessante adotar a opção sem cafeína.”
  • Café ou chá? Fique com o mais agrada seu paladar: “na minha prática clínica, prefiro respeitar cada cliente. Os chás possuem propriedades interessantes, mas a indicação é individual e deve respeitar a história clínica e a cultura de cada um”, conclui Caroline.

Desafio 7kgs em 6 semanas!

Chegue no verão com o corpo que você quiser!

 
 

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.