Box Jump: O que é, benefícios e como fazer

Provavelmente você já viu alguém praticando box jump – também chamado de salto na caixa – em treinos de HIIT ou  cross fit. 

Dessa maneira, este tipo de treino é uma ótima alternativa para aumentar e desenvolver a força por meio da parte inferior do corpo, entre outros benefícios.

O box jump requer maior envolvimento da parte inferior do corpo, coordenação motora e concentração para realizar o exercício da forma correta. Contudo, apesar de parecer um movimento simples, quando não realizado com atenção pode ocorrer lesões graves.

Leia mais em: Crossfit: Exercícios que você pode fazer sem sair de casa

Benefícios

Os saltos na caixa podem trazer diversos benefícios quando feito regularmente, veja alguns deles:

  • Fortalece as pernas: O movimento de subir e descer para saltar durante o exercício ativa cada músculo das pernas, como resultado, aumenta sua força e tônus muscular. 
  • Ajuda a prepará-lo para outros esportes: O box jump traz benefícios para a sua coordenação, velocidade e resistência. Com isso, você se torna mais apto para realizar outros esportes.
  • Queima calorias: Assim como qualquer outro exercício de alta intensidade, o box jump contribui para o emagrecimento. Dessa maneira, é possível perder de 800 a 1.000 calorias por hora.
  • Pode ser feito sem equipamento: Uma das grandes vantagens deste exercício é que não precisa ser feito com equipamentos. Basta uma caixa resistente e estável o suficiente para suportar o seu peso.

Leia também: 5 exercícios para você variar sua rotina fitness

Como praticar o box jump

Para praticar o box jump, o recomendado é começar com uma caixa baixa para se acostumar ao movimento, entre 30 e 60 centímetros de altura.

  1. Inicie ficando de frente para a caixa com os pés na distância do quadril;
  2. Em seguida, flexione os joelhos e pressione os quadris levando-os para baixo e as mãos para trás;
  3. Salte em direção a caixa utilizando a impulsão das pernas, com os braços para cima e para frente enquanto estende totalmente os joelhos e quadris;
  4. Depois, pouse com os dois pés ao mesmo tempo em cima da caixa. Lembre-se de tentar fazer isso “suavemente”, para que seus joelhos e quadris se dobrem naturalmente para ajudar a absorver o choque do salto;
  5. Por fim, sem pular, dê um passo cuidadosamente fora da caixa e reinicie para a próxima repetição.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo